SÃO PAULO

A desvalorização do mercado de imóveis norte-americano, somada à crescente valorização dos imóveis no Brasil, vem impulsionando a venda de residências nos Estados Unidos. A consolidação deste mercado, que já acontece há alguns anos, fez com que a Biscaynebay, que assessora investimentos em imóveis nos Estados Unido, e a imobiliária Elite International Realty ampliassem ações para incrementar as vendas no exterior.

Segundo Rogério Bastos, gestor de patrimônio e sócio da empresa Biscaynebay, a compra de imóveis por investidores brasileiros tem aumentado nos últimos anos, no entanto, é preciso tomar alguns cuidados para que essa escolha seja mesmo vantajosa. "O mercado imobiliário do sul da Flórida foi um dos que mais sofreram nos Estados Unidos após a crise, pois um grande estoque de novas casas chegou ao mercado pouco antes do crash."

De acordo com Bastos, a queda entre os imóveis voltados à baixa renda chegou, em alguns casos, a ultrapassar os 70%, contra uma queda média de 30% nos imóveis voltados aos segmentos da população das classes A e B. "Os imóveis de baixa renda oferecem retornos maiores que os de alto padrão, que têm sido objeto de compra dos brasileiros em Miami nos últimos anos", esclarece.

O executivo afirma ainda que os aluguéis, deduzidos os custos de condomínio, seguro e imposto predial (que nos Estados Unidos são pagos pelo proprietário), neste tipo de imóvel estão atualmente na faixa de 7% ao ano e a taxa de vacância está abaixo de 5% (mais de 95% dos imóveis estão atualmente ocupados).

"A procura é tão grande que há quiosques em shoppings vendendo imóveis para brasileiros em Miami", detalha Bastos.

Segundo dados do estudo realizado pela National Association of Realtors, os brasileiros responderam por 12% das compras de imóveis em Miami. Segundo a pesquisa da consultoria, cerca de 30% dos brasileiros compram casas de menos de US$ 100 mil.

Outros atrativos são a facilidade de financiamento, que pode chegar a 30 anos, e os juros bem abaixo dos encontrados no mercado brasileiro. "Além disso, Miami está recebendo investimentos em infraestrutura", finaliza.

Entre as imobiliárias, a Elite International Realty também oferece opções de venda de imóveis para brasileiros. Segundo Leo Ickowicz, presidente da empresa, o Brasil é o segundo país que mais investe em imóveis nos Estados Unidos, ficando atrás somente do Canadá. "O preço do m² ficou mais barato nos Estados Unidos por conta da crise econômica. Enquanto nos bairros nobres de São Paulo e Rio de Janeiro o custo fica entre US$ 10 mil e 15 mil, em Miami, por exemplo, são US$ 5 mil", afirma ele. "O interesse do brasileiro, que já tem com Miami uma relação tão próxima, foi confirmado com a venda de imóveis entre US$ 1 milhão e US$ 6 milhões, em um total de US$ 19 milhões", completa.