São Paulo - Em busca de novos mercados, a rede de franquias Rei do Mate planeja expansão em nichos que vão além das lojas em ruas e shoppings. Entre hospitais, universidades e aeroportos, a meta da marca é manter o ritmo de crescimento dos últimos anos, abrir até 25 operações e faturar R$ 280 milhões.

"Temos crescido [no número de unidades] em hospitais e dentro de empresas. Tendo fluxo de pessoas é viável instalar uma operação nossa. Acho que a gente tem muito a crescer no Brasil ainda. Queremos focar em cidades com [pelo menos] 100 mil habitantes", afirmou ao DCI o diretor de marketing e comercial do Rei do Mate, Antonio Nasraui.

Presente em 85 cidades do País, o Rei do Mate já soma 330 lojas de conveniência espalhadas em diversos pontos movimentados como shoppings, supermercados, aeroportos, hospitais, universidades, entre outros. A despeito da crise, a rede quer manter o crescimento anual de vendas em aproximadamente 40%.

Além de um investimento total de R$ 10 milhões em novas lojas para cumprir a meta estimada, a empresa destinará uma quantia de R$ 3 milhões a ações de marketing até o final deste ano. Nasraui admite ainda que, visando aproximar a marca do público, o Rei do Mate tem patrocinado os jogos da seleção brasileira de futebol. "Temos feito um trabalho para reafirmar a nossa 'brasilidade' diante de tantas marcas estrangeiras que vem para cá", conta o executivo.

Linha de produtos

Com um tíquete médio que gira em torno de R$ 13, o Rei do Mate pretende se firmar como acessível para todas as classes sociais. "Os produtos fortes das nossas vendas são o mate, o pão de queijo, o café e o açaí. Essa linha de produtos representa algo em torno de 60% das nossas vendas gerais", diz.

"Estamos trabalhando muito. Hoje, vendemos 25 produtos diferentes entre embalagens e sabores, e estamos mantendo o crescimento anual de 30% a 40%."

Franquias

Demonstrando certa resiliência no franchising, o faturamento do segmento de alimentação como um todo evoluiu 6% no primeiro trimestre deste ano, de acordo com a Associação Brasileira de Franchising (ABF). Seguindo essa tendência, o Rei do Mate cresceu 50% o número de suas vendas neste mesmo período.

Fundada em 1978, pelo empresário Kalil Nasraui, o Rei do Mate perdurou por mais de uma década com apenas duas unidades, começando a trabalhar com o modelo de franquias apenas em 1991.

Segundo o executivo, a rede inaugurou 26 operações no último ano. Embora a empresa não abra o número de unidades que foram desligadas em 2016, o cenário de crise econômica é uma realidade atual. Para ele, na recessão aparecem as oportunidades; como, por exemplo, a viabilização de contratos de aluguéis. "A gente sempre está em recessão ou passando por um momento de crise; umas maiores, outras menores, mas nunca tivemos um momento sem crise", diz.