SÃO PAULO - O mês de novembro foi positivo para o varejo paulistano. Dados da Associação Comercial de São Paulo (ACSP) indicam expansão de 5,2% na comparação com o mesmo mês do ano passado e alta de 5,9% na comparação com outubro. No acumulado do ano até novembro, a entidade aponta crescimento médio de 0,7% dos negócios em comparação ao período equivalente de 2016.



O crescimento ficou dentro das expectativas da ACSP, afirmou em nota o presidente da entidade, Alencar Burti. "É uma prova de como a Black Friday veio preencher a lacuna que existia em novembro, um mês mais curto por causa dos feriados e que estava preso entre dois meses bons para os lojistas", destacou o executivo, para quem o resultado de novembro "reforça a recuperação do setor".



A ACSP afirma que novembro deixou de ser um dos "patinhos feios" do comércio para se tornar um dos meses mais rentáveis no calendário varejista. "Antes você tinha um gráfico de picos e vales. Agora temos uma escadinha, o que é até melhor para o comerciante. A Black Friday hoje já é mais importante do que Dia dos Pais e Dia das Crianças no varejo físico", comenta Burti. Ele lembra ainda que existe alguma antecipação de compras de Natal na Black Friday.



Na avaliação do desempenho de novembro contra novembro do ano passado, as vendas a prazo tiveram alta de 7,1%, enquanto os negócios à vista cresceram 3,2%. "O desempenho melhor das compras a prazo deve-se não apenas à Black Friday, mas sobretudo a fatores macroeconômicos (queda dos juros, alongamento dos prazos de financiamento, crescimento da massa salarial) e circunstanciais (encerramento do sinal analógico e aproximação da Copa do Mundo, o que tem elevado a comercialização de TVs)", apontou a ACSP. Na comparação mensal, as vendas a prazo e à vista cresceram 1,7% e 10,1%, respectivamente.



O levantamento da ACSP é elaborado pelo Instituto de Economia da entidade a partir de dados fornecidos pela Boa Vista Serviços.