Rio de Janeiro - Desde 2010, o Rio deixou de receber R$ 400 bilhões em tributos das empresas de ônibus. A quantia é referente ao desconto no Imposto Sobre Serviços (ISS) concedida às transportadoras cariocas.

Os dados foram apresentados pelo vereador Paulo Pinheiro (PSOL) em audiência pública da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para 2018, realizada na Câmara Municipal do Rio. A redução do tributo para as empresas de transporte caiu de de 2% para 0,01%.

"É preciso retornar o ISS de 2% para as empresas de ônibus. A renúncia fiscal, somente agora em 2017, será de R$ 71 milhões. Considerando a queda da arrecadação municipal e as possibilidades de aumento da tributação para o contribuinte, considero um pleito justo o retorno de 2% para o setor", defendeu o vereador.

O próprio vice-prefeito e secretário municipal de Transportes, Fernando MacDowell, se posicionou contra o desconto no ISS. E disse que os técnicos da prefeitura desenvolvem um trabalho a respeito.

Barcas

Na audiência, MacDowell também abordou a questão de outros modais de transporte na cidade. Ele garantiu que o município atua em várias frentes para melhorar a mobilidade e citou como exemplo estudos do sistema de transporte aquaviário na Lagoa da Barra da Tijuca. A ideia é conectar o sistema à Estação Jardim Oceânico, da Linha 4 do metrô.

O secretário afirmou ainda que existem conversas com o governo do estado para expandir a Linha 2 do metrô, com ligação entre a estação do Estácio à Praça XV. MacDowell lembrou ainda que a Secretaria está implantando soluções para transporte de cargas estratégicas do Porto do Rio e o Programa de Municipalização do Porto de Cargas. "Com o aumento do calado no Porto, o número de containers passará de 300 mil por ano para 3, 5 milhões", adiantou.