Por Brian Homewood

NYON, Suíça - Bruxelas perdeu o direito de sediar partidas da Euro 2020 por causa de atrasos no desenvolvimento de sua nova arena Eurostadium, e os quatro jogos que deveria receber acontecerão no estádio Wembley de Londres, informou a Uefa nesta quinta-feira.

O presidente da Uefa, Aleksander Ceferin, disse que as quatro partidas serão um acréscimo às duas semifinais e à final já agendadas no estádio nacional da Inglaterra.

O torneio de 2020 será disputado em 12 cidades de toda a Europa, e não em uma ou duas nações-sedes, um sistema especial para comemorar o 60o aniversário do evento.    A Uefa também anunciou que o Estádio Olímpico de Roma será o palco do jogo de abertura.    A construção do Eurostadium de Bruxelas sofreu atrasos ligados às inscrições para a realização da obra e a permissões ambientais.

"Debatemos com Bruxelas durante bastante tempo e eles não foram capazes de nos apresentar toda a documentação. Hoje não sabemos se eles conseguem construir um estádio ou não", disse Ceferin aos repórteres.    "Eles ainda não têm os documentos... não esperavam uma decisão antes de janeiro e não sabiam se seria sim ou não".    "Especialistas da (nossa) administração sentiram que seria um risco alto para a Uefa esperar. Se a resposta tivesse sido não, teria sido um problema para nós encontrar um novo estádio", acrescentou.    Koen De Brabander, presidente-executivo da Federação de Futebol Belga, disse em um comunicado que a entidade fez tudo que podia para fazer a Uefa esperar.

"Perder a Euro 2020 não significa necessariamente um golpe fatal em nossos planos para o estádio", afirmou. "Temos absoluta necessidade de um novo estádio de 45 mil lugares e esperamos que os ministros competentes concedam a permissão em janeiro para que um estádio do século 21 possa finalmente ser construído em nosso país".