São Paulo - A adesão das micro e pequenas empresas ao Black Friday será 80% maior este ano, na comparação com 2014, segundo o levantamento Black Friday Legal 2015, elaborado pela Câmara Brasileira de Comércio Eletrônico (camara-e.net) em parceria com o Sebrae.

O estudo mostra que 75% de todas as lojas do comércio eletrônico que participarão do evento, marcado para o próximo dia 27, possuem faturamento anual de R$ 3,6 milhões ou menos.

Para a diretora técnica do Sebrae, Heloisa Menezes, "a Black Friday é uma oportunidade de aumentar as vendas, ampliar a base de clientes, reforçar a presença da marca e contribuir para o giro do estoque", pontua ela.

Este é o sexto ano do evento no Brasil. Ainda de acordo com o levantamento, nas duas primeiras edições, a maior parte das empresas participantes era de médio e grande porte. Com isso, a camara-e.net decidiu, em 2013, criar o programa Black Friday Legal para incentivar a participação dos microempreendedores Individuais (MEI) e das micro e pequenas empresas na promoção. De 2013 para cá, enquanto a presença das grandes empresas se manteve praticamente estável, o número de pequenos negócios que participam do evento cresceu 243%.

Estreia

Este ano, 43% dos pequenos negócios que se candidataram para aderir ao programa Black Friday Legal participarão da promoção pela primeira vez, segundo mostra a pesquisa. Os principais objetivos da adesão são vender mais e atrair novos consumidores, além de posicionar a marca no mercado.

O estudo traçou também o perfil dessas empresas. A maioria delas (57%) tem loja física e virtual. Quase sete em cada dez estão instaladas na Região Sudeste do Brasil. Cerca de um terço atua no segmento de moda e acessórios, enquanto 21% no de casa e decoração e 13% no de eletrônicos e telefonia, mostra o estudo.

As inscrições para aderir ao programa Black Friday Legal 2014 terminam hoje (23).