São Paulo - A Prefeitura de Santo André irá capacitar seus profissionais de saúde por meio de parceria entre o Ministério da Saúde e o Instituto de Ensino e Pesquisa do Hospital Sírio-Libanês. O curso inédito na cidade tem como objetivo atualizar os profissionais sobre as diretrizes de novos protocolos do Ministério da Saúde.

Os funcionários que estão sendo contemplados com o curso, que começou na última terça-feira (16) são os gestores e demais funcionários da rede de Atenção Básica, Atenção Secundária (Especializada, Hospitalar, Urgência e Emergência), Assistência Farmacêutica, Regulação e Educação Permanente (Humanização) da Secretaria de Saúde. A pauta das aulas será sobre os novos Protocolos da Atenção Básica no Sistema Único de Saúde (SUS), buscando a adequação a essas normas de atendimento atualizadas, que determinam os procedimentos adequados para o atendimento de acordo com cada tipo de situação. Além disso a capacitação visa a implementação desses vários protocolos de acordo com cada localidade de atendimento, onde os alunos irão adaptá-los.

Dentre esses protocolos estão por exemplo, para certos sintomas, determinados exames que devem ser realizados ao invés de outros, sempre visando a melhor orientação e resultado no atendimento. O curso está ofertando apenas 20 vagas, com o intuito de que o número de funcionários e gestores envolvidos em qualquer nível seja menor para obter melhores resultados. Primeiro, os profissionais aprenderão a metodologia para montar um protocolo. Depois do curso, os profissionais com o conhecimento que possuem por atuar na rede, determinarão os procedimentos.

A Atenção Básica no município está recebendo um olhar especial pela prefeitura, sendo esse curso uma ferramenta para o fortalecimento dessa área. O objetivo com o final do curso é que eles se tornem multiplicadores de informação, ensinando aos demais funcionários de suas respectivas áreas, todo as diretrizes e protocolos aprendidos no curso. Segundo a secretária de Saúde de Santo André, Ana Paula Peña Dias, o município foi o único contemplado com o curso no ABC nessa edição. Ela ressalta que apesar de todo o processo de saúde ser iniciado na Atenção Básica, é importante que todos tipos de cargos da área participem do curso justamente para manter um padrão dos procedimentos e para que todos deem continuidade aos trabalhos. " O protocolo estipula um passo a passo para atendimento em certas situações, por exemplo, para determinados sintomas o profissional deverá solicitar um determinado exame, seguir um procedimento. Isso aumenta a segurança no encaminhamento do caso do paciente, bem como, seu diagnóstico", explica Ana Paula.

O curso está sendo oferecido por meio do Programa de Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI - SUS), que não oferece custos diretos à prefeitura.

Programa Saúde Fila Zero

Em conjunto, a prefeitura também iniciou o programa Saúde Fila Zero. O programa credencia hospitais e clínicas que tenham dívidas com a cidade para converterem o valor em prestação de serviços de saúde, com base na tabela do Sistema Único de Saúde (SUS), sendo o valor máximo cinco vezes o tabelado.

A estimativa é de que os equipamentos de saúde, públicos e privados, com dívida somada no valor de R$ 200 milhões com o município, consigam acabar com fila de espera no município que hoje é de cerca de 18 meses, para no máximo dois meses.