CAMPINAS

O designer gráfico, Luciano Troiani, criou em 2012 a Umb.Co 23, um espaço de escritórios compartilhados num ambiente moderno com diversas mesas e cadeiras de escritório, e nenhuma divisória, localizado na região central de Campinas.

O espaço de 320 m² acomoda com conforto 20 estações de trabalhos distribuídos em cinco conjuntos de quatro mesas cada, uma sala de reunião com capacidade para até oito pessoas oferecendo uma estrutura completa de escritório convencional com serviço de secretária, sala de reunião, internet, café, espaço de networking e limpeza.

O espaço foi criado com base na tendência de coworkings (escritórios compartilhados) que surgiu no Vale do Silício, nos Estados Unidos.

"O interessante de um espaço assim é das pessoas criarem novos negócios aqui dentro, então se convencionou que tem que ter um mediador, que no caso aqui sou eu. Se o cara chega para mim e fala que está precisando de um publicitário para fazer um material e eu conheço alguém, faço a intermediação, apresento os dois e eles criam um novo negócio dentro do mesmo espaço".

Segundo o designer, "a ideia do coworking não é só apenas um escritório com endereço comercial, secretária e para fazer reunião, mas também essa parte de gerar networking".

Procura

A procura pelo espaço é maior por parte de pequenas e microempresas, que possuem pelo menos um funcionário e não acham funcional deixá-los trabalhando em home office. Assim como freelancers, profissionais liberais e start-ups.

A Umb.co23 está entre duas grandes avenidas de Campinas, a Orozimbo Maia e Barão de Itapura. Nessa região concentra-se grandes pontos comerciais como bancos, restaurantes, prestadores de serviços, lojas de veículos, lavanderia, entre outros.

Em mais de 81 países

O coworking, conceito de escritórios compartilhados está presente em mais de 81 países.

A ideia é muito simples, ao invés de alugar um escritório e arcar com todas as despesas, a pequena empresa aluga uma ou mais estações de trabalho para colocar sua equipe e divide os custos com as outras empresas que também estão no mesmo espaço.

Custos compartilhados

Assim, todos os custos de energia, ar condicionado, internet, limpeza, água e demais são compartilhados, ficando menores para cada um.

"Eu acho que é o futuro porque as empresas hoje em dia estão com problema de espaço. As indústrias estão saindo dos grandes centros e estão indo cada vez mais para o interior, para localidades cada vez mais distantes e acabam deixando a base operacional de fábrica, por exemplo no interior de um estado e a sede envolvendo pessoas que usam a cabeça, que não é operacional, cada um trabalhando na sua casa".

Só que isso traz um problema, segundo Troiani, que é o "de produtividade, pois mesmo mandando essas pessoas embora elas acabam se transformando em consultores da empresa na qual trabalhavam e elas precisam de um local para poder trabalhar e conquistar novos clientes também", diz.

Produtividade

Luciano Troiani identificou que no Umb.Co 23 a maior contribuição para quem está lá é a produtividade, pois segundo ele, as pessoas estão acostumadas a trabalhar em Shopping Centers, em café ou em casa e o trabalho muitas vezes não rende.

"Às vezes acontece que uma pessoa que não tem nada a ver com o seu ramo dando uma opinião para o seu negócio e te abre uma nova prospecção para as pessoas de fora", comenta.