SÃO PAULO - (Atualizado às 18h59) O Sindicato dos Metroviários de São Paulo prometeu uma paralisação de 24 horas na quinta-feira da próxima semana (18) caso o governo de São Paulo não suspenda a licitação para a operação das linhas 5 e 17 do Metrô.

O anúncio precisa ser referendado em assembleia na próxima quarta-feira (17). Na sexta-feira (19), serão abertas as propostas para operação das linhas 5 e 17. Segundo o sindicato, apenas a CCR entregará proposta.

"Foi a única que fez visita técnica e que tem condição de atender os pré-requisitos do processo. Se alguma empresa internacional se interessar, ela vai ter que se basear em estudo da CCR", afirmou o coordernador-geral do Sindicato dos Metroviários, Wagner Fajardo.

A entidade afirma que a CCR seria o único player capaz de cumprir pré-requisitos como já ter operado um sistema metroferroviário com movimento de 400 mil passageiros por dia.

Além da atual concessionária da Linha 4 paulista, a unica empresa que possui operação desse porte no País é a MPar, sócia da CCR no metrô do Rio de Janeiro.

A CCR diz que as "especulações sobre o possível direcionamento no edital de licitação" são "infundadas". A empresa destaca que "possui um rigoroso Programa de Integridade e Conformidade e rígidas regras de governança corporativa que permeiam toda a sua atuação e trajetória".

O Governo do Estado de São Paulo ainda não se manifestou sobre o assunto.