São Paulo - Secretária municipal de Trabalho e Empreendedorismo, Aline Cardoso (PSDB) realizou uma visita técnica na sexta-feira (11) para verificar as instalações do Mercado Municipal Paulistano ("Mercadão") e conversar com os permissionários do equipamento.

Durante audiência pública que discutiu a concessão dos 14 mercados municipais e 17 sacolões da cidade, comerciantes se mostraram preocupadas com a iniciativa da atual gestão. Os permissionários temem que com a concessão haja aumento no preço do aluguel dos boxes.

Durante as audiências, os comerciantes exigiram a participação na elaboração dos editais de concessão. "Achamos que vocês, atuais permissionários, devem participar do processo mas, para isso, devem se organizar. O que não podermos manter são situações irregulares que prejudicam a cidade de São Paulo", disse a secretária, Aline Cardoso, durante visita ao Mercadão. Após conhecer o sistema de segregação de lixo e descarte de alimentos, a secretária afirmou ser urgente a elaboração de um plano de combate ao desperdício de alimentos. "Não podemos esperar a concessão para pensar nisso", disse. Durante audiência pública a secretaria disse que a falta de investimentos compromete a infraestrutura dos mercados municipais e que seria necessário uma modernização dos espaços.

Segundo o secretário de Desestatização e Parcerias, Wilson Poit, o governo municipal gastaria cerca de R$ 90 milhões para reformar todos os equipamentos.

Os comerciantes criticam a justificativa do governo de desestatizar os mercados e sacolões por criarem gastos, alegando que os espaços geram receita de R$ 8 milhões aos cofres municipais segundo dados da Prefeitura. Durante as audiências, 11 vereadores foram contrários à concessãos dos espaços.