BRASÍLIA - A diretoria do Banco Central (BC) aprovou nesta sexta-feira (14) circular que reduz de 6% para zero a alíquota adicional do compulsório sobre depósitos à vista, já em vigor, e diminui de 12% para 11% a alíquota adicional do compulsório sobre depósitos a prazo, a partir de 29 de outubro.



A autoridade monetária também permite, a partir de hoje, que até metade do compulsório adicional que os bancos são obrigados a recolher ao BC sobre depósitos a prazo seja cumprida mediante compra de letras financeiras e carteiras de crédito.



O BC estima que essas medidas devem liberar, nos próximos meses, em torno de R$ 30 bilhões do estoque atual de R$ 380 bilhões de depósitos compulsórios. Com mais dinheiro em circulação, a tendência é uma maior oferta  de crédito na praça e uma melhor distribuição da liquidez no mercado interbancário.



De acordo com informe técnico do BC, “a decisão simplifica a estrutura de recolhimentos compulsórios, com a eliminação do adicional sobre depósitos à vista, reduz os custos da intermediação financeira e fornece melhores condições para o setor operar de maneira mais eficiente, em linha com as mudanças estruturais por que passa a economia brasileira”.