SÃO PAULO - Em mais um sinal da importância cada vez maior dos países emergentes na economia mundial, o banco norte-americano JPMorgan anunciou no começo deste mês que está reformulando seus principais indicadores regionais e globais para aumentar o peso dessas economias.



A instituição também mudou sua metodologia, passando a usar um sistema dinâmico para avaliar a participação de cada país na economia, substituindo a média estática do PIB nos cinco anos anteriores. Com as mudanças, o peso do Brasil no crescimento econômico global passou de 2,6%, levando em conta a média do PIB de 2005 a 2009, para 3,9%. O peso relativo do País teve o segundo maior aumento, atrás apenas da China. Com isso, a participação brasileira na economia mundial se tornou a quinta maior, depois dos EUA, Zona do euro, China e Japão. Logo após do Brasil aparecem Reino Unido, Índia e Rússia.



Segundo Joseph Lupton, economista global do JPMorgan e um dos autores do relatório com as mudanças nos agregados econômicos globais, o aumento do peso dos emergentes é resultado de três fatores: a maior taxa de crescimento real destes países; a valorização das moedas emergentes; e os níveis elevados de inflação nessas economias. "Tudo isso elevou a participação nominal dos mercados emergentes no crescimento global", afirma.



Em relação ao Brasil, Lupton diz que o País passa por alguns problemas temporários, como a valorização do real, que prejudicou o setor industrial. "Existem desafios e as autoridades estão tentando lidar com eles. Entretanto, assim que o país superar esses problemas no curto prazo, e com a melhora do crescimento global, o Brasil vai se encaminhar para um horizonte melhor".



O economista afirma que o Brasil se esforça para reduzir os juros e que existem outros países que poderiam fazer o mesmo, até porque a inflação desacelerou nos últimos meses nas economias emergentes, em função das quedas nos preços das commodities. Entretanto, Lupton aponta que os preços dos produtos agrícolas saltaram mais recentemente e que isso pode ser uma fonte de preocupação.