- O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse ontem (11), durante anúncio de financiamentos ao agronegócio, que a crise observada na política não está afetando a recuperação da economia.

"Embora haja naturais questionamentos de que a crise política esteja afetando a economia, não há evidências disso. Evidência é o que interessa na economia, são números, são fatos. Muitos insistem em lutar contra os fatos revelados nos dados econômicos", disse Meirelles.

Em seguida, o ministro da Fazenda apresentou uma série de dados para mostrar que, apesar das turbulências na política, os agentes econômicos tem reconquistado a confiança, mantendo a economia brasileira em trajetória de recuperação.

O principal dado destacado por Meirelles foi a recuperação na produção industrial de bens de capital, que cresceu 3,5% em maio em relação ao mês anterior, segundo os dados mais recentes divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

"É um sinal importante, sinal de que o item que levou o País à recessão, recessão que levou a uma queda da confiança e consequentemente a uma queda do investimento, agora começam a crescer", disse.

Ele citou outros dados que indicam recuperação futura da economia, como o aumento das encomendas de papelão ondulado, utilizado em embalagens, que cresceu 13,8% em junho, comparado ao mês anterior, segundo o ministro.

Agenda

Meirelles afirmou ainda que a continuação da política macroeconômica "previsível" e da agenda de reformas implicará em maior crescimento. "É essencial continuarmos com agenda de reformas. Este é o caminho para o Brasil mais justo e mais próspero", comentou. Para ele, o crescimento trará como consequência mais recursos para investir em saúde e na área social.

O ministro aproveitou o evento para passar uma mensagem positiva sobre o presidente Michel Temer, como outros integrantes do governo que falaram antes dele. Meirelles disse que o presidente é o "grande responsável" pelo sucesso na área agrícola.

"Estamos comemorando com muita razão o sucesso da agricultura brasileira. O presidente Michel Temer é o grande responsável por esse sucesso que estamos comemorando. O País está saindo da maior recessão da história com um ano e um mês de governo", disse.

Em uma crítica a governos anteriores, Meirelles afirmou que o ciclo de crescimento atual "é para valer", e não artificial, baseado em uma bolha de crédito. "O crescimento é baseado em investimento."

O ministro da Fazenda ponderou que o último indicador econômico a mostrar crescimento será o emprego, que é o "objetivo final" da política econômica. "O desemprego parou de subir e teremos queda no segundo semestre."

Ele rebateu análises de que a economia desacelerou no segundo trimestre. "Muitos insistem em lutar contra os fatos."

Para o ministro, a discussão de se o Brasil vai ou não crescer desaparecerá e o debate passará a ser sobre produtividade. /Agências