- O presidente Michel Temer afirmou que o seu governo deu ao Brasil o caminho do desenvolvimento, "do qual não se afastará". O peemedebista disse ainda que não permitirá que medidas populistas, que provoquem retrocesso no país, voltem a ser adotadas.

"Nosso compromisso com o Brasil é inquebrantável", salientou a representantes de mais de 40 países que participam do Fórum de Investimentos Brasil 2017, organizado pelo governo em São Paulo, em conjunto com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Temer disse logo no início de seu discurso que seria cômodo deixar para seu sucessor as reformas necessárias, mas a decisão foi oposta e o governo resolveu tocar uma agenda de medidas estruturais. O peemedebista falou também da queda da inflação, que está abaixo da meta do Banco Central.

Ao falar da retomada da economia, Temer disse que a "recuperação começa agora" e que em abril houve superávit primário de R$ 12 bilhões, além de criação de vagas de emprego. Ainda destacou que a liberação das contas inativas do FGTS irrigará o País com R$ 40 bilhões.

Investimentos e retomada

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, afirmou que após 12 meses do governo de Michel Temer, o Brasil está diferente, com regras estáveis, inflação baixa, juros em queda e maior previsibilidade. "O Brasil oferece sim oportunidades concretas de investimento", disse ele durante discurso.

"É preciso assegurar retorno e previsibilidade aos investidores", comentou. As economias estão sujeitas a ciclos econômicos, mas para minimizar os impactos das crises, é preciso ter regras claras, regime que garanta inflação na meta e com reformas estruturais aprovadas, segundo ele.

O Ministro voltou a reforçar o seu compromisso com a sustentabilidade do crescimento, que de acordo com ele já está ocorrendo na economia.

"Já cresceu, o primeiro trimestre segundo dados do Banco Central já cresceu 1,12% no trimestre sobre o trimestre anterior", disse Meirelles.

Ele lembrou que o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgará nesta semana os dados do Produto Interno Bruto (PIB) do primeiro trimestre. "Estão mostrando uma trajetória de crescimento. Isso é muito importante. Nós criamos vaga de emprego em abril, o que mostra que o Brasil está numa trajetória de crescimento previsível e sustentável", afirmou. Ainda de acordo com o ministro, o Brasil tem dado mostras de resistência à volatilidade da economia e da política. "Está mais clara hoje a resistência da economia brasileira", disse./Estadão Conteúdo