Finanças
01/11/2013 - 00h00

Controle do BicBanco é vendido para os chineses por R$ 1,6 bi

SÃO PAULO - O Banco Industrial e Comercial (BicBanco) anunciou no final da tarde de ontem a venda do controle acionário para o China Construction Bank (CCB) por R$ 1,62 bilhão. A operaçã

Caio Zinet

SÃO PAULO

O Banco Industrial e Comercial (BicBanco) anunciou no final da tarde de ontem a venda do controle acionário para o China Construction Bank (CCB) por R$ 1,62 bilhão. A operação envolve a compra de 73,96% do capital social do banco (excluindo-se as ações de tesouraria), segundo fato relevante publicado no site do Conselho de Valores Mobiliários (CVM). O anúncio confirmou os rumores que circulavam no mercado desde ontem.

Ainda de acordo com o comunicado divulgado pelas empresas, a conclusão do negócio ainda depende da autorização do Banco Central brasileiro, das autoridades chinesas e das autoridades bancárias das Ilhas Cayman.

No fato relevante, as instituições financeiras informam ao mercado financeiro que "não haverá aumento de capital da companhia como consequência da incorporação, ou qualquer diluição ou alterações na participação acionária dos acionistas no capital social da companhia".

Ainda se acordo com o fato relevante, após a conclusão da operação o CCB submeterá a CVM, em até 30 dias após a data de fechamento, um pedido de oferta pública para aquisição das demais ações. Os minoritários podem aproveitar essa oportunidade para se desfazer dos papéis caso o grupo chinês decida fechar o capital da instituição financeira.

O banco chinês informou ainda que está "avaliando se irá proceder com o cancelamento do registro de companhia aberta e/ou saída da companhia do nível 1 de governança corporativa da BM&FBovespa. Espera-se tomar uma decisão com relação a essas questões, uma vez que todas as aprovações regulatórias relacionas a operação tiverem sido obtidas", diz o comunicado.

O CCB é o segundo maior banco comercial da China com quase 60 anos de história e fechou o ano passado com US$ 2,293 trilhões em total de ativos, crescimento de 13,77% em relação a 2011.

BicBanco

No balanço relativo ao segundo semestre deste ano, o BicBanco, 23º maior do Brasil, registrou lucro líquido ajustado de R$ 28,5 milhões, com queda de 38% em relação ao primeiro trimestre (R$ 39,4 milhões), mas leve avanço de 7% em comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 26,4 milhões). A carteira de crédito expandida ficou em R$ 13,6 bilhões no último balanço, com queda de 5% ante o primeiro trimestre (R$ 14,3 bilhões) e praticamente estável em comparação com o mesmo período do ano passado (R$ 13,4 bilhões).

Assuntos relacionados:

bancos
Imprimir

Caderno Especial

Versão digital (30/09/2014)

Para assinantes Assine o jornal impresso e tenha acesso total à versão digital.
Versão digital do DCI
Clique e assine hoje mesmo
Publicidade

Nós curtimos

TVB Nova Brasil FM Rádio Central AM
Uma empresa das Organizações Sol Panamby
© 2014. DCI Diário Comércio Indústria & Serviços. Todos os direitos reservados.