Finanças
05/01/2017 - 18h07 | Atualizado em 05/01/2017 - 19h11

Ibovespa sobe quase 1% e fecha acima de 62 mil pontos

Índice foi puxado principalmente por ações vinculadas aos segmentos de commodities e bancos

Giro financeiro somava 6,17 bilhões de reais
Giro financeiro somava 6,17 bilhões de reais
Foto: Fábio Rodrigues Pozzebom/ABr

SÃO PAULO - O principal índice de ações da bolsa paulista encerrou o pregão desta quinta-feira acima dos 62 mil pontos pela primeira vez desde o fim de novembro, reagindo à valorização de papéis ligados a commodities, em especial Vale, Petrobras e siderúrgicas.

As ações de grandes bancos, que se fortaleceram após um desempenho mais volátil nas primeiras horas do pregão, endossaram os ganhos.

O Ibovespa subiu 0,78 por cento, a 62.070 pontos, maior patamar desde 28 de novembro. Na máxima do dia, o índice subiu 1,33 por cento.

O giro financeiro alcançou 7,01 bilhões de reais, ligeiramente abaixo da média de 7,4 bilhões de reais apurada em 2016.

Incertezas persistem no cenário internacional, mas uma série de indicadores nesta semana na China, Estados Unidos e Europa sugeriam um cenário global mais favorável a ativos de risco, de acordo com operadores.

O economista Silvio Campos Neto, da Tendências Consultoria, avalia que a Bovespa tem potencial para "acomodação" no curto prazo depois das altas recentes. "O clima tem se mantido positivo nos últimos dias, mas talvez estejamos perto de alguma acomodação", afirmou.

De modo geral, a expectativa é de que investidores sigam atentos ao panorama internacional até que sejam retomados os trabalhos no Congresso e no Judiciário, quando a política local tende a voltar ao foco.

DESTAQUES

- VALE PNA saltou 4,74 por cento, e VALE ON se valorizou 3,81 por cento, em linha com as cotações do minério de ferro na China, que se recuperaram da mínima em seis semanas atingida na quarta-feira, em meio a expectativas de que o governo chinês elevará gastos com obras de infraestrutura.

- GERDAU PN ganhou 7,08 por cento, no topo da lista de maiores altas do Ibovespa, enquanto METALÚRGICA GERDAU avançou 4,85 por cento. Operadores lembram que as duas siderúrgicas subiram menos que as rivais USIMINAS PNA e CSN nos pregões recentes, impulsionadas pelos novos reajustes nos preços do aço, e estariam nivelando o desempenho. Ainda no radar estava a notícia veiculada na véspera pelo serviço especializado em commodities Platts de que a Gerdau estaria em negociações avançadas para vender as operações de mineração de carvão coque na Colômbia. Procurada, a Gerdau não comentou o assunto de imediato.

- PETROBRAS PN avançou 1,61 por cento e PETROBRAS ON ganhou 2,25 por cento, seguindo o avanço do Brent, após a Arábia Saudita iniciar conversas com clientes para redução das vendas. As ações ainda reagiram à conclusão da venda de 100 por cento da Petrobras Chile Distribuición para o Southern Cross Group.

- ITAÚ UNIBANCO PN encerrou com ganho de 1,37 por cento, depois de oscilar entre altas e baixas na primeira metade do pregão, reforçando o viés positivo do Ibovespa, dado o seu peso na composição do índice. Ainda no setor bancário, BRADESCO PN subiu 1,11 por cento. Na contramão, BANCO DO BRASIL ON cedeu 0,24 por cento.

- BRF ON fechou em baixa de 0,78 por cento, depois de ter subido quase 1,6 por cento na primeira parte do pregão. A Reuters noticiou no início do dia que a empresa planeja captar cerca de 1,5 bilhão de dólares com a venda de participação de 20 por cento da unidade OneFoods, voltada para o público muçulmano, por meio de uma oferta pública inicial de ações. Em nota a clientes, o BTG Pactual disse que o IPO da OneFoods ajudaria a BRF a "destravar bastante valor".

Reuters

Imprimir
Publicidade

Caderno Especial

Especial MPE 2017

Versão digital (24/11/2017)

Para assinantes Assine o jornal impresso e tenha acesso total à versão digital.
Versão digital do DCI
Clique e assine hoje mesmo
Publicidade

Nós curtimos

TVB Nova Brasil FM Rádio Central AM
Uma empresa do
© 2017. DCI Diário Comércio Indústria & Serviços. Todos os direitos reservados.