BRASÍLIA – O investimento estrangeiro direto (IED), que vai para o setor produtivo da economia, chegou a US$ 8,421 bilhões, em julho, segundo dados divulgados nesta quinta-feira (23) pelo Banco Central (BC).



O resultado superou a projeção do BC de US$ 7 bilhões para o mês e é o maior desde dezembro de 2010, quando foram investidos US$ 15,374 bilhões no país. O resultado também é o maior para meses de julho, segundo a série histórica do BC, iniciada em 1995. Em julho de 2011, o IED ficou em US$ 5,982 bilhões.



De janeiro a julho, o IED acumula US$ 38,141 bilhões, ante US$ 38,484 bilhões de igual período do ano passado. Para o ano, a projeção do BC é que sejam investidos no país US$ 50 bilhões. No ano passado, o IED ficou em US$ 66,66 bilhões.



O IED foi mais que suficiente para o cobrir o déficit em transações correntes, saldo negativo das compras e vendas de mercadorias e serviços do Brasil com o mundo, que chegou a US$ 3,766 bilhões, em julho, e acumulou US$ 29,108 bilhões nos sete meses do ano.