SÃO PAULO

Quando entrar em vigor, a nova norma que determina às montadoras que carros, caminhões e motos saiam de fábrica já com rastreadores, o setor de monitoramento de veículos no Brasil deverá ser aquecido. O mercado, liderado por players como Car System, Sascar e Tracker Mot, entre outras, pode apresentar crescimento de mais de um dígito no Brasil nos próximos dois ou três anos, quando começarem a ser sentidos os efeitos da Resolução 245 do Conselho Nacional de Trânsito (Contran).

Há hoje cerca de 1,5 milhão de carros de passeio e 500.000 caminhões monitorados no País. Ainda assim, o roubo anual de automóveis por aqui corresponde à produção de um ano de uma montadora: 400.000 unidades.

"A vigência da Resolução já foi adiada cinco vezes, mas agora tenho a impressão de que os prazos serão mantidos, finalmente", conta Cyro Buonavoglia, presidente da Associação de Empresas de Gerenciamento de Riscos e de Tecnologia de Rastreamento e Monitoramento, a Gristec.

Estes prazos são os seguintes: a partir de janeiro de 2013, 20% de todos os automóveis e caminhões precisarão sair da fábrica com sistemas de bloqueio e rastreamento; em agosto, 100% destes veículos precisarão contar com os mesmos.