SÃO PAULO - Com um patrocínio de R$ 1,3 milhão do Instituto C&A, lideranças ligadas ao mercado da moda pretendem repensar suas estratégias comerciais e promover mudanças mais sustentáveis no modelo de produção tradicional no País.



O projeto é encabeçado pela  Organização Internacional do Trabalho (OIT), Associação Brasileira do Varejo Têxtil (ABVTEX ), Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção (Abit), com o patrocínio do Instituto C&A e realização do Instituto Reos. Além disso, outras 35 lideranças do segmento foram convidadas a contribuírem com novas perspectivas no debate.  



A iniciativa será dividida em duas fases. Na primeira, lideranças do segmento terão diálogos para traçar os possíveis cenários futuros do setor do vestuário no País.



Na segunda, serão desenvolvidas iniciativas a fim de repensar a estrutura produtiva do setor, desde o aspecto sustentável da fabricação até a melhoria das condições de trabalho no segmento para os próximos anos.



Nesse sentido, a proposta tem alinhamento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas (ONU).



A aliança entre as entidades, que começou outubro de 2016, vai ter duração de 18 meses, até abril de 2018. Por ora, o projeto está apenas no campo do debate de ideias entre os agentes envolvidos.