SÃO PAULO - A indústria de motos ainda enfrenta dificuldades para sair da crise. No primeiro semestre, o volume produzido atingiu 423,7 mil unidades, queda de 8,8% em relação a igual período do ano passado, informou nesta terça-feira  (11) a Associação Brasileira dos Fabricantes de Motocicletas, Ciclomotores, Motonetas, Bicicletas e Similares  (Abraciclo). Somente no mês de junho, houve retração de 38,5% na comparação anual. 



No entanto, o presidente da entidade, Marcos Fermanian, afirma que a queda está dentro das expectativas. "Ouvimos de fabricantes que alguns modelos já estão em falta nas concessionárias porque as empresas querem entrar o segundo semestre ajustadas", disse o dirigente em apresentação do balanço do setor.



As vendas no atacado  (para concessionárias) também tiveram queda de 11% ante igual intervalo de 2016, totalizando 402,3 mil unidades.  Em junho, a comercialização caiu 25,9% na comparação anual, para 57,2 mil motos.



Já as exportações apresentaram alta de 4,1% no acumulado dos seis primeiros meses deste ano, para 32,4 mil unidades, principalmente para a Argentina, informa a Abraciclo.