SÃO PAULO - Reciclar as garrafas plásticas que utilizamos é uma prática sustentável bem conhecida em nosso cotidiano. No entanto, uma startup britânica resolveu ir além: criar uma embalagem feita de alga marinha própria para consumo e em formato esférico.



Com três tamanhos diferentes - 20ml, 55ml e 150ml -, a embalagem Ooho! começou a ser desenvolvida em 2013, pela Skipping Rocks Labs.  Localizada na capital inglesa, Londres, a startup buscou viabilizar o desenvolvimento do projeto, em 2017, por meio de uma plataforma de financiamento coletivo, mais conhecida como crowfuding.



No processo de captação de recursos, o produto tinha como meta levar o montante de R$ 1,6 milhão em um dos maiores sites de financiamento coletivo do mundo, o Crowcube. No entanto, em apenas três dias, o projeto arrecadou cerca de R$ 3,44 milhões por meio da colaboração de mais de mil investidores.



Após superar as expectativas, a startup encerrou a operação na plataforma, passando a focar em questões relacionadas às estratégias comerciais.



Atualmente, o produto está sendo comercializado apenas em eventos e feiras. Porém, os fundadores da startup, Rodrigo Garcia Gonzalez e Pierre Paslier, estão desenvolvendo uma máquina a fim de produzir em larga escala a embalagem ecológica.



Nesse sentido, a iniciativa permitirá diminuir o custo de produção, tornando o produto competitivo em relação às embalagens convencionais de plástico. As vendas serão direcionadas tanto para distribuidores, no esquema B2B, como para pessoas físicas. Esta operação está prevista para ocorrer no início de 2018.



Com uma proposta sustentável, a embalagem Ooho!, além de ser biodegradável num período de tempo que varia entre quatro e seis semanas, pode conter tanto água quanto sucos em seu interior.



Atualmente, a startup está passando pelo processo de aceleração promovido pela aceleradora Climate KIC, com sede no centro acadêmico Imperial College London. Além disso, as vendas do produto também são feitas em poucas cidades fora do território inglês, como por exemplo São Francisco e Boston, nos Estados Unidos.