São Paulo - O escritório Sepulcre Advogados saiu completamente do comum na hora de escolher seu ramo de atividade. Com três anos de existência, a sociedade atua na recuperação de créditos de inadimplentes para fundos de investimento.

A operação não é nada trivial, mas a sócia-fundadora da banca, Vanessa Sepulcre, tem na ponta da língua a explicação do seu trabalho: "São empréstimos de bancos que as empresas ou pessoas físicas não pagaram. Depois de um tempo, a instituição financeira que concedeu aquele crédito decide vendê-lo a fundos de investimento com um deságio muito alto para recuperar pelo menos uma parte do que emprestou. É aí que entramos", explica.

Segundo Vanessa, vários fundos se interessam por esses créditos, que por serem muito arriscados, garantem um retorno proporcionalmente maior ao investidor. Como esses ativos estão, na maioria das vezes, em discussão judicial entre o banco e o devedor, os fundos contratam advogados para representá-los nessas ações e reaver os valores. Isso só é possível porque com a venda dos créditos, o comprador substitui o banco como ativo das ações.

"O início do nosso trabalho é segmentar a carteira. Depois que o fundo compra um pacote de créditos de inadimplentes, analisamos 100% dos processos dentro da carteira e dividimos entre aqueles que podemos resolver de forma rápida e os mais trabalhosos", conta Vanessa.

Essa triagem passa por um extenso processo de análise tanto da possibilidade daquele crédito ser pago quanto das garantias e do histórico da empresa ou indivíduo que está devendo. "Fazemos um trabalho investigativo, com pesquisa de bens através de sites públicos em Serasa e outras empresas que prestam esse tipo de serviço. Isso nos ajuda a perceber a situação de vida do devedor. Aí sentamos e conversamos com a parte inadimplente para fechar um acordo", acrescenta ela.

Acordo fechado significa bom negócio para o fundo e para o escritório garante a advogada, que tem conseguido fechar um bom volume de negociações. Na visão dela, o principal desafio acaba sendo mesmo a lentidão do Judiciário na condução dessas ações. "O investidor é muito exigente. Muitos resultados acabam sendo negativos por conta do ritmo da Justiça. Quando sai uma solução processual, já não adianta mais para o fundo. Se o Judiciário fosse mais rápido, nossas metas seriam atingidas com muito mais facilidade."

No entanto, a Vanessa comenta que essa é uma situação que não aflige apenas o Sepulcre Advogados, mas todos os escritórios que atuam no mesmo segmento. Para ela, o importante é oferecer um atendimento diferenciado em relação aos concorrentes, de modo a deixar toda a morosidade judicial para trás.

Em termos de perspectivas, a sócia projeta um aumento expressivo da demanda por seus serviços 2018. "O nível de inadimplência está alto, mas os bancos levam mais ou menos dois anos para venderem suas carteiras. Como o grosso da crise foi no ano passado, espera-se que as vendas aumentem no ano que vem", acrescenta a especialista.

Conhecimento prático

Um dos grandes diferenciais de Vanessa é sua própria experiência do outro lado da moeda. A advogada trabalhou por seis anos em uma gestora de fundos de investimento e viu lá uma oportunidade para se posicionar em um segmento com pouca oferta de serviços. "Muitos escritórios trabalhavam com banco, mas a recuperação de crédito para investidores era um segmento em que normalmente os advogados não trabalham", afirma.

Vanessa também trabalhou durante anos em uma factoring, de modo que tem uma vivência de anos no mercado financeiro. Na hora de montar a sua banca, trouxe um sócio com características parecidas: era o advogado Fábio Campos, que atuou com ela por quatro anos cuidando de casos segmentados desde a época em que trabalhavam na gestora de fundos. "O Fábio veio como prestador de serviços e se tornou sócio este ano."

Hoje, o Sepulcre Advogados conta com 12 colaboradores, em sua maioria advogados formados que fazem as mais variadas funções. "Há uma pessoa que faz a gestão da pauta para outros advogados, que fazem as diligências no fórum. Também tem um profissional especializado que é responsável pela pesquisa dos devedores, etc.", observa.