- Enquanto o Palácio do Planalto "se vira nos trinta", inclusive abrindo as torneiras do Tesouro Nacional em um momento de corte de verbas para serviços essenciais - inclusive o orçamento dos policiais federais investigadores da Lava Jato - para salvar o mandato tampão do presidente Michel Temer (PMDB), o Congresso se movimenta em sentido contrário. Nos corredores e subterrâneos do Legislativo, partidos e lideranças, governistas e oposicionistas, articulam o desembarque de Temer do governo, abrindo espaço para o presidente da Câmara, deputado Rodrigo Maia (DEM-RJ), chegar à Presidência da República por meio de eleições indiretas.

Nos bastidores e conchavos

Além dos conchavos de bastidores que garantirão os votos, inclusive de traidores de Temer, para a Câmara acatar a denúncia da Procuradoria Geral da República e autorizar o Supremo Tribunal Federal (STF) abrir processo criminal contra o presidente da República, as etapas dessa tramitação do pedido do Judiciário devem ajudar a enfraquecer ainda mais o chefe do Executivo. É forte a pressão da oposição para que a Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) da Câmara convoque o procurador-geral Rodrigo Janot para ser ouvido pelos parlamentares.

Palco armado

Os peritos dos áudios gravados pelos delatores e os próprios empresários envolvidos na denúncia contra Temer, dentre eles um dos donos da JBS, Joesley Batista, também estão na lista dos prováveis convocados pela CCJ da Câmara. Se essa proposta passar, a tramitação na comissão não só será prolongada - ao contrário do que deseja o Planalto -, mas também servirá de palanque para alimentar acusações contra Temer. O corte de verbas da Polícia Federal, que obrigou o enxugamento da estrutura de investigação da Lava Jato, também deve inflamar a opinião pública.

Indústria 4.0 está chegando

A chegada da indústria 4.0 no Brasil, mesmo devagar, já estimula consultorias especializadas no tema. É o caso da RSI Redes fornecedora de serviços e tecnologias customizadas para gestão de negócios, que criou um braço específico para auxiliar as empresas no planejamento de adoção de tecnologias. A metodologia desenvolvida pela RSI Redes identifica problemas, tecnologias e sistemas, prevê custos e resultados esperados. "A indústria 4.0 está no centro das estratégias das empresas que transformam seus negócios", diz Marcos Villas, sócio da RSI Redes.

Refinanciamento para todos

Na avaliação do diretor do Painel Financeiro, Alexandre Andrade, ao oferecer descontos e uma cobrança menor às empresas com dívidas abaixo de R$ 15 milhões, o novo Refis - programa de regularização de dívidas em tramitação no Congresso -, iguala os direitos para negócios de menor porte. Exemplo disso é a taxa de empreendedorismo que em 10 anos saltou de 23% para 34,5%, segundo pesquisa da Global Entrepreneurship (GEM), diz. "É uma forma justa não só de fazer a cobrança, mas também de possibilitar que todos os débitos sejam regularizados", ressalta Andrade.

Editora-fechamento