Enquanto o País assistia incrédulo aos desdobramentos da denúncia contra o presidente Michel Temer, a Polícia Federal, em parceria com o Ministério do Trabalho, deflagrou na manhã de ontem a Operação Stellio. O objetivo é desarticular uma organização criminosa especializada em fraudes contra o Programa Seguro-Desemprego e o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço. Participam da operação cerca de 250 policiais. Ao todo, estão sendo cumpridos 136 mandados judiciais, sendo 56 de busca e apreensão, 10 de condução coercitiva, nove prisões preventivas e 61 prisões temporárias. Os mandados estão sendo cumpridos em vários estados.



Prejuízo de R$ 320 milhões



As ações estão sendo desenvolvidas em Tocantins, Goiás, Pará, Maranhão, Roraima, Paraná e Santa Catarina. De acordo com a corporação, requerimentos fraudulentos eram inseridos no sistema por agentes credenciados em escritórios montados pela organização mediante a utilização de senhas desses funcionários. A investigação apontou um prejuízo efetivo na ordem de R$ 320 milhões, conforme dados de requerimentos fraudados entre janeiro de 2014 e junho de 2015. A Justiça em Palmas determinou a prisão de 14 agentes e ex-agentes do Sistema Nacional de Emprego.



Mercado aquecido



Após dois anos seguidos de recessão, a indústria têxtil e de confecção aponta recuperação em 2017, segundo a Associação Brasileira da Indústria Têxtil (ABIT). O faturamento do setor em 2016 foi de R$ 129 bilhões, 1,5% menor que o de 2015, em que o número foi de R$ 131 bilhões. A perspectiva é de que o faturamento em 2017 seja de R$ 135 bilhões. Diante disso, a Feira do Circuito das Malhas, de moda outono e inverno, começa dia 19 de maio e vai até dia 28 no Centro de Eventos São Luís, em São Paulo, atraindo 120 mil visitantes e gerando R$ 15 milhões em negócios.



Florianópolis tem espaço para startups



Um dos polos de tecnologia que mais se destacam no país, Florianópolis acaba de ganhar mais uma iniciativa que pretende estimular a inovação pela aproximação de grandes e médias empresas com o universo das startups. Com a proposta de promover a inovação aberta e o compartilhamento de experiências nasce o Link Lab ACATE. A iniciativa é da Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia (ACATE), que tem a Nexxera como patrocinadora cofundadora e Ambev, ENGIE, Faculdade Cesusc, Flex Contact Center, Marisol e Teltec Solutions como patrocinadoras.



Escritório compartilhado



Para receber o projeto, um novo espaço de 640m² com escritório compartilhado e oito salas privativas está sendo preparado no Centro de Inovação ACATE - Primavera, em Florianópolis, um dos ambientes mais inovadores da capital catarinense e premiado em 2016 como o melhor projeto de arquitetura corporativa da América Latina. O Link Lab não será um programa de aceleração de startups, mas sim de aproximação e conexão, explica o vice-presidente de Mercado da ACATE e líder do programa, Silvio Kotujansky: "esperamos que as companhias respirem inovação". /Agências