A Lei Anticorrupção e a Lei das Estatais já resultam em maior nível de controle em algumas corporações no Brasil. É o caso da auditoria interna da Sabesp, que conquistou o Quality Assessment (QA), a mais importante certificação de auditoria interna no mundo, concedida pelo The Institute of Internal Auditors. A companhia é a primeira sociedade de economia mista e empresa do setor de saneamento a obter essa certificação no Brasil. Para conquistar a QA, a empresa deve seguir as normas previstas no International Professional Practices Framework (IPPF), sigla em inglês para Estrutura Internacional de Práticas Profissionais.



Eficácia de controles internos



"A Lei Anticorrupção e a Lei das Estatais passaram a exigir maior nível de controle das organizações, o que inclui uma auditoria interna bem estruturada para avaliar a eficácia dos controles internos, a efetividade dos processos de governança e de gestão de risco e confiabilidade das demonstrações financeiras", afirma Marcelo Fridori, superintendente de Auditoria da Sabesp. A certificação comprova que a Auditoria Interna da Sabesp realiza um trabalho capaz de trazer maior segurança à administração por meio de avaliações previstas em exigências legais e normativas.



Saída para a floresta (I)



A reunião do Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas, anteontem, em Brasília, criou dois grupos de trabalho dedicados ao tema.  Um ponto central do debate é o uso do REDD+ (Redução de Emissões do Desmatamento e Degradação Florestal), que, no Brasil, de acordo com modelagem econômica recente do Environmental Defense Fund (EDF), pode atrair US$ 45 bilhões para a Amazônia até 2030, se incluir captações junto ao mercado e os offsets - um país ou empresa compensa externamente emissões de carbono que não consegue zerar com recursos próprios.



Saída para a floresta (II)



Uma oportunidade promissora vem da aviação civil, que se mobiliza para criar uma Medida Internacional de Mercado para compensar as emissões do setor por meio de offsets, incluindo o REDD+. Entre 2020 e 2030, o setor terá de neutralizar todas as emissões das suas operações nos países do Acordo de Paris, inclusive o Brasil. É um investimento de US$ 1,5 bilhão anual, equivalentes a 3 mil Km2 de floresta preservada. "O Brasil precisa estar preparado para fortalecer uma economia florestal que reduza o desmatamento ilegal", afirma Cenamo.        



Universo feminino



As 13 artistas paulistas, cariocas e do interior de São Paulo, que expõem suas obras sobre o universo feminino se reúnem hoje em almoço no Octávio Café, na capital paulista. A exposição coletiva "Universo Feminino", de 6 a 31 de março, aproveita o mês do Dia Internacional da Mulher para dar maior visibilidade ao trabalho das artistas, enfatiza Vera Simões, empresária cultural e diretora do Escritório de Arte Vera Simões, organizadora da mostra. Dentre as expositoras, Adda Pompemayer, Alaides Puppin Ruschel, Anna Donadio, Angelika Altmann e Dircea Mountfort.



Avanço seguro



A Smartia, primeiro site brasileiro de cotação de seguros online e pioneira em vendas de seguros via web, fundada em 2010, espera crescer 20% neste ano, a partir de investimentos superiores a R$ 5 milhões em inovação, processos e ferramentas. Com sede no Rio de Janeiro, a Smartia avançou 15% em 2016 e conta com uma carteira composta por seguros para automóveis (90%), residenciais (5%) e de vida (5%). Neste ano, vai aumentar a atuação em seguros residenciais, mobile, fiança e viagem. Ianz Monteiro do Rio, ceo e sócio-fundador da Smartia, diz que os investimentos estão voltados para garantir qualidade e maior eficiência geral dos processos, na infraestrutura de servidores (nuvem) e evolução da plataforma de software proprietária da corretora.



Destaque brasileiro



O Brasil lidera o ranking do NXTP.Labs, um dos principais fundos de investimentos em tecnologia da América Latina, com mais de 300 empresas. A participação brasileira é de 48%. Em segundo lugar está a Argentina (18%), seguida pelo México (14%). Dentre as companhias, a pesquisa destacou a VTEX, líder em desenvolvimento de plataforma cloud commerce, com atuação nos EUA, Reino Unido, Espanha e Alemanha. Desde 2012, a empresa foca na expansão global. "Nossa tecnologia cloud commerce se mostrou competitiva ao redor do mundo e nossa velocidade de inovação e entrega de resultados de negócios nos transformou em um dos principais fornecedores do setor. Nossa meta é seguir a expansão até consolidar a empresa nos maiores mercados do mundo", diz Rafael Campos, sócio-diretor da VTEX.



Aposta na contramão  



Enquanto seu segmento de mercado encolheu quase 40% no último ano, a Linea Brasil - maior exportadora de móveis para sala do País, sediada em Arapongas (PR) -, avançou 40% ano passado. Um dos fatores que facilitaram a empresa caminhar na contramão foi a preocupação com a carteira de crédito dos clientes. "Ampliamos nossa participação no mercado externo em 7%, consolidando nossa liderança pelo terceiro ano consecutivo. Temos ótimas expectativas, apesar do cenário adverso. Nossa atuação especializada de trade marketing permitiu melhorar ainda mais nossa ssoluções", afirma o diretor comercial, Sidney Nakama. A Linea Brasil surgiu em 1992 com a proposta de oferecer produtos funcionais, com design e qualidade diferenciados. Hoje conta com 22.500 metros quadrados de planta industrial e 7.500 metros quadrados de centro de distribuição, além de mais de 450 colaboradores diretos e mais de 500 indiretos.