Política
22/08/2007 - 11h19

Argumentos "sérios" contra transposição do São Francisco serão considerados, diz ministro

BRASÍLIA - O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, afirmou hoje (22), em entrevista a emissoras de rádio parceiras da Radiobrás, que está aberto às críticas ao projeto de transposição do Rio São Francisco. Mas enfatizou que o governo não vai retroceder na decisão de fazer a obra. Na entrevista, Geddel admitiu que já teve posições contrárias ao projeto por não conhecê-lo. "Só tem idéia fixa quem é doido."

PanoramaBrasil

BRASÍLIA - O ministro da Integração Nacional, Geddel Vieira Lima, afirmou hoje (22), em entrevista a emissoras de rádio parceiras da Radiobrás, que está aberto às críticas ao projeto de transposição do Rio São Francisco. Mas enfatizou que o governo não vai retroceder na decisão de fazer a obra. Na entrevista, Geddel admitiu que já teve posições contrárias ao projeto por não conhecê-lo. "Só tem idéia fixa quem é doido."

Segundo o ministro, "argumentos sérios" são levados em consideração e podem trazer mudanças no projeto. Ele citou como exemplo a crítica de que o projeto levaria água para "fora" da Bacia do São Francisco, enquanto muitos ribeirinhos continuariam sem acesso à água.

Com base nessa crítica foi criado um projeto chamado Água para Todos, que prevê a construção de cisternas e poços artesianos. Esses sistemas devem levará água para 1,8 mil comunidades que vivem em uma distância de até 15 quilômetros do Rio São Francisco. Para este ano, estão previstos para o programa R$ 50 milhões, além de outros R$ 307 milhões para os próximos quatro anos.

"Essas organizações, esses organismos da democracia têm papel importante: criticar, sugerir, protestar, se manifestar, fazer parcerias com o governo para levar obras sociais em determinadas áreas. Agora não têm legitimidade para governar. Legitimidade para governar têm aqueles que receberam essa delegação do povo brasileiro. Quem votou no o presidente Lula sabia que ele defendia a transposição", argumentou o ministro da Integração Nacional.

Ele considera "falacioso" o argumento de que a obra vai beneficiar apenas grandes produtores. Para Geddel, a transposição vai beneficiar a todos, inclusive os que precisam de água para plantar. "É importante que as pessoas não tenham preconceito contra aqueles que querem produzir, gerar renda."

O ministro reconheceu que a obra foi mal divulgada pelo governo. "Agora temos que correr atrás para que as pessoas compreendam essa obra e não desenvolvam raciocínio em cima de colocações inadequadas."

Estão previstas hoje, em Brasília, manifestações contra e a favor da transposição do Rio São Francisco.

(com Agência Brasil)

Assuntos relacionados:

energia
Imprimir
TVB Nova Brasil FM Rádio Central AM
Uma empresa das Organizações Sol Panamby
© 2014. DCI Diário Comércio Indústria & Serviços. Todos os direitos reservados.