Política
14/11/2017 - 12h49 | Atualizado em 14/11/2017 - 13h28

Eunício defende que governo cumpra acordo sobre MP na reforma trabalhista

Presidente do Senado destacou que seria "muito ruim para a relação" entre os poderes manter a atual situação

Eunício defende que governo cumpra acordo sobre MP na reforma trabalhista
Eunício defende que governo cumpra acordo sobre MP na reforma trabalhista
Foto: Reuters

BRASÍLIA - O presidente do Congresso, senador Eunício Oliveira (PMDB-CE), defendeu nesta terça-feira, 14, que o governo cumpra o acordo firmado com senadores e faça alterações na reforma trabalhista através de uma Medida Provisória (MP). Para Eunício, seria "extremamente deselegante" com o Senado se o compromisso feito pelo líder do governo, Romero Jucá (PMDB-RR), em nome do governo, não se concretizasse. "Seria muito ruim para essa relação de confiança que precisa ser estabelecida nas negociações entre os poderes", disse Oliveira sobre a possibilidade de a MP não ser editada.

Ele reforçou o seu posicionamento ao presidente Michel Temer esta semana. "Eu disse ao presidente que, nesse caso específico, estou defendendo que seja MP porque foi um compromisso feito."

Eunício contou que chegou a encaminhar vídeos e notas taquigráficas da sessão que aprovou a reforma trabalhista ao presidente da República para relembrar o acordo feito com parlamentares. "Eu não participei das negociações, mas testemunhei", disse.

Na época, o governo aceitou fazer mudanças posteriores ao texto por meio de MP para evitar que a proposta fosse modificada pelo Senado e tivesse que voltar para a Câmara. "Se depender de mim o governo encaminha ainda hoje a MP. Há um compromisso do governo de encaminhar isso como MP."

Eunício Oliveira reclamou que já se passaram cerca de 40 dias desde a sanção da proposta no Senado, sem que haja uma manifestação clara sobre a medida provisória. "Todo mundo está esperando. Qual é a lei que entrou em vigor? A MP que foi negociada ou vai ser apenas o que foi sancionado? Precisamos saber isso. Não podemos deixar o país nessa berlinda."

Após a sanção da lei, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), afirmou ser contra mudanças por meio de MP, e defendeu que sejam feitas alterações através de um projeto de lei. Nesta terça, Eunício Oliveira afirmou que "quem recebe MP é o presidente do Congresso" e "quem emite é o presidente da República", deixando Maia de fora.

O presidente do Senado e do Congresso avaliou ainda que o projeto de lei poderia levar até 120 dias para ser aprovado, dependendo da boa vontade dos presidentes da Câmara e do Senado, enquanto a MP entrar em vigor imediatamente.

Estadão Conteúdo

Imprimir
Publicidade

Caderno Especial

Especial MPE 2017

Versão digital (24/11/2017)

Para assinantes Assine o jornal impresso e tenha acesso total à versão digital.
Versão digital do DCI
Clique e assine hoje mesmo
Publicidade

Nós curtimos

TVB Nova Brasil FM Rádio Central AM
Uma empresa do
© 2017. DCI Diário Comércio Indústria & Serviços. Todos os direitos reservados.