SÃO PAULO - O candidato José Serra (PSDB) aproveitou o feriado paulistano para fazer uma caminhada pelos corredores do Shopping Aricanduva, na zona leste. Entre fotos com frequentadores do centro comercial e beijos em crianças, ele fez uma parada em um café, onde pediu fatia de bolo de laranja e xícara pequena de chocolate. Em busca de votos, abraçou o corintiano Dênis de Oliveira, 19 anos, com quem tirou foto. Mas, palmeirense apaixonado, Serra fez um pedido. "Só tiro foto com você se for assim", disse o tucano, cobrindo com a mão o emblema do Corinthians na camiseta de Denis.



Serra disse que "é o gostoso o corpo a corpo porque você sente a energia do eleitor". A caminhada do candidato tucano foi acompanhada por um trio de músicos que, ao som de violino e flauta, o recepcionaram com as canções "O Sole Mio" e "Trenzinho Caipira", de Heitor Villa Lobos.



Ele comentou a notícia de que a CUT vai fiscalizar o julgamento do Mensalão. "Sindicato não pode assumir esse tipo de posição, sindicato recebe recursos públicos, essa notícia é péssima", disse o tucano.



Serra disse que vem ouvindo demandas da população, "mas são poucas, o que indica que o povo está razoavelmente atendido pelo poder público".



Haddad voa



Depois de passar boa parte da manhã sobrevoando São Paulo em um helicóptero, ontem, o candidato petista Fernando Haddad fez um breve pouso para tomar café espresso com queijo quente em uma padaria de Itaquera, na zona leste. Lá ele falou sobre o lado "pitoresco" da campanha, que já inclui conselhos de realejo e previsões astrológicas. Para haver "paz" nos próximos 90 dias "será preciso ter bom humor".



A previsão era de que o candidato fizesse um passeio pelo Parque do Carmo, mas a programação mudou para o café da manhã no bairro. Apesar do céu azul, Haddad alegou que a caminhada foi cancelada em razão do mau tempo. Haddad riu ao ser questionado sobre a inclusão de previsões de uma astróloga em seu site oficial depois do aviso de um realejo, domingo, em Ermelino Matarazzo, de que é "necessário que evites a companhia de certas pessoas que tratam de inclinar-te para o mal". "Eu não acredito em astrologia, eu sou cientista", disse, negando que tenha um guru e afirmando que situações curiosas, como previsão astral, dão um toque "pitoresco" à campanha, à qual trazem temas sobre os quais "a população gosta de conversar".