A digitalização do comportamento do consumidor trouxe mudanças bruscas para o segmento publicitário. Com a crescente importância das redes sociais, o investimento nesse perfil de anúncio saltou 78% entre 2017 e 2016, movimento que deve continuar nos próximos anos.

Os números são da “Paid Social Trends” da iProspect, agência de marketing full performance presente em 54 países. A pesquisa foi realizada com mais de 210 marcas, cujas ações abrangem investimentos em vários países, incluindo o Brasil. Entre os resultados, o estudo aponta que o uso de inserções em vídeo no Facebook subiu 41% (3° TRI 2016X2017).

Segundo a diretora operacional da iProspect, Paola Máximo, “a presença das marcas em redes sociais por meio de anúncios cresce fortemente, impulsionada pelo requinte de informações que possuímos para criar estratégias de comunicação assertivas e relevantes, além do engajamento do consumidor nas plataformas. Com o crescimento do investimento, a mensuração da performance, através de diferentes KPIS, também foi aprimorada de forma significativa”, comenta.

O investimento, porém, variou bastante dentro das redes pesquisadas (Facebook, Instagram, Pinterest, Snap e Twitter). No Twitter e Pinterest, o gasto diminuiu, 12% e 35%, respectivamente, enquanto com o Facebook cresceu 36% . “Isso pode ser atribuído para o desempenho historicamente mais forte do Facebook em relação ao impulsionamento de vendas, especialmente nas proximidades das festas de fim de ano”, diz o estudo.

Considerando-se o período de janeiro a setembro de 2017, sobre um ano antes, o custo no Facebook e Instagram cresceu 130% e 104%, enquanto as demais redes caíram. Esses aumentos são devidos a maior adesão dos clientes e a aplicação de estratégias completas de “funil” para captura leads nestas plataformas.

Faz mais ou menos um ano que o Facebook anunciou que se tornaria uma companhia “vídeo-first” e isso já se evidencia com o crescimento de 41% em social video ad placements. “Estamos vendo mais vídeos criativos adicionados às campanhas existentes, mas mais notavelmente estamos acompanhando a transferência da verba normalmente utilizada em outros canais digitais para o social video ”, ressalta Paola.