TERESINA — O Sebrae vai até você. Esse é o slogan do Programa Negócio a Negócio, que o Sebrae Piauí está implementando no estado com foco no atendimento de empresas de micro e pequeno portes e na formalização de empreendimentos. O Negócio a Negócio prevê até três consultorias de orientação empresarial gratuitas, mediante agendamento prévio.


Durante as consultorias, é feito um diagnóstico e são relacionados os problemas das empresas. Em muitos casos, as dificuldades vão desde déficits financeiros até má gestão em marketing e de pessoas. O grande desafio do programa é promover melhorias na gestão empresarial, criando condições favoráveis para o negócio.


“O Negócio a Negócio é um programa de inclusão empresarial que tem como objetivo levar informações técnicas para os empresários de micro e pequeno portes e para empreendedores recém formalizados, que apostam no conhecimento como uma alternativa para sobreviver no mercado e para se tornarem cada vez mais competitivos”, afirma o diretor técnico do Sebrae no Piauí, Mário Lacerda de Melo.


O projeto é executado no Piauí por meio dos Agentes de Orientação Empresarial, AOE, que visitam os empresários e os tornam mais próximos do Sebrae. É através dessa aproximação que se inicia a troca de experiências. Os agentes são o elo para a fidelização do empresário ao Sebrae.


“Ir de negócio a negócio, não esperar mais que o empreendedor venha ao Sebrae e sim ir atrás dele, onde ele estiver, é a forma que encontramos para conquistar novos clientes para a instituição”, diz o supervisor do programa no Piauí, José Augusto Oliveira.


“A meta é atender quinze mil empresas até o final deste ano. O Sebrae fará cerca de 45 mil atendimentos diretos, já que cada empresa recebe pelo menos três vezes os AOE. Esse é um número considerável e necessário, porque o incentivo ao negócio é fundamental para o crescimento das empresas”, relata o gerente de Atendimento Individual e Mercados do Sebrae Piauí, Carlos Jorge Gomes da Silva.


“Queremos orientar e capacitar os empreendedores individuais, assim como os empresários de micro e pequenos negócios, que possuem empreendimentos com até quatro pessoas ocupadas, para tornar esses negócios mais sólidos”, explica o gestor do Programa Negócio a Negócio do Piauí, José Luiz de Almeida Torres.


Com os empreendedores individuais, o Negócio a Negócio ajuda a analisar os benefícios previdenciários e as novas oportunidades de negócios. Para quem trabalha por conta própria e está na informalidade, as informações são variadas, desde os incentivos a formalização até o repasse de soluções em gestão.