Serviços
21/05/2016 - 08h00 | Atualizado em 20/05/2016 - 18h33

Startup cria plataforma para compartilhamento de roupas

Usuário da WardRobe pode expor itens de seu guarda-roupa e lucrar com aluguel da peça

O mestre em Marketing Leandro Belizario é fundador da plataforma WardRobe
O mestre em Marketing Leandro Belizario é fundador da plataforma WardRobe
Foto: Divulgação

SÃO PAULO - Fundada em dezembro de 2015 em Fortaleza, a startup WardRobe desenvolveu uma plataforma de compartilhamento na qual as pessoas divulgam itens de seu guarda-roupa para aluguel. A novidade atrai tanto consumidores que procuram poupar dinheiro com a compra de vestuário quanto quem quer complementar sua renda locando seus pertences.

"Momentos de crise são propícios para a inovação, principalmente quando elas permitem aumentar a renda, e é isso que nosso programa proporciona: uma grande oportunidade a todos de lucrar", afirma um dos fundadores da WardRobe, Alex Costa. A startup foi uma das selecionadas para o processo de aceleração InovAtiva, do Ministério do DesenvolvimentoIndústria e Comércio Exterior (MDIC). A proposta é a única do gênero e está na segunda etapa, com outras 125 ideias. 

O WardRobe surgiu após o mestre em Marketing Leandro Belizario observar a prática de compartilhamento de peças entre sua esposa e sua filha. "É muito comum uma usar o guarda-roupa da outra. Logo, me perguntei se isso não era uma prática normal. Pesquisei e percebi que existia um mercado em potencial", diz o criador do programa, que se juntou com o especialista em aplicativos para aparelhos móveis Germano Teles e o desenvolvedor web Alex Costa para dar sequência ao projeto.

Após um cadastro no site do aplicativo, a pessoa pode pesquisar a roupa ou acessório que deseja. O sistema automaticamente mostrará a compatibilidade do traje com seu corpo, com base em informação que o usuário especifica no momento da inscrição.

Feita a escolha, a pessoa poderá tirar dúvidas sobre a roupa com o dono da peça por meio de chat, dentro do próprio programa, e agendar a prova e devolução. O WardRobe notificará o usuário para que não esqueça as datas.

Caso o usuário queira expor sua roupa para locação, são necessárias algumas fotos e informações sobre a peça, como medidas e cores. Em média, os aluguéis saem por 20% a 25% do valor original do produto. A WardRobe cobra comissão de 12% de quem anuncia e 6% de quem aluga. Quanto mais algum deles utilizar a plataforma, menos pagará a cada vez. 

"Antes de lançarmos a plataforma, pesquisamos muito e buscamos saber se as pessoas topariam compartilhar seu guarda-roupa com estranhos desde que fosse seguro", explica Belizario. Por isso, ao final do processo de locação, cada pessoa envolvida é avaliada pela outra, permitindo posteriormente a visualização de sua avaliação em futuras locações. Se os prazos não são respeitados, há cobrança de multas.

Com cerca de mil usuários, o WardRobe tem como objetivo levar a proposta além do Brasil. "Nossa região de atuação já está bem diversificada no País e pretendemos estar nos quatro cantos do mundo A moda é universal, só um pouco diferente em cada cultura", diz Belizario.

Arthur Henrique

Imprimir
TVB Nova Brasil FM Rádio Central AM
Uma empresa do
© 2017. DCI Diário Comércio Indústria & Serviços. Todos os direitos reservados.