SÃO PAULO - Desde 2015, mais de 77 mil listas de presentes foram registradas na plataforma Eu, Neném, que promove a criação de chás de bebê on-line. Desenvolvido em Belo Horizonte, pelo empresário Ricardo Basques, o site realiza a cobrança de taxas sobre os valores depositados na conta bancária da mãe anfitriã do evento.



Com faturamento na faixa de R$ 2 milhões por ano, a startup Eu, Neném promove a criação de um chá de bebê on-line, onde é possível que cada convidado envie valores em dinheiro correspondentes aos presentes listados no evento. As mães podem mandar convites para seus contatos em redes sociais como Facebook, WhatsApp ou Google+.



A criação do evento virtual é gratuita, dando a possibilidade da anfitriã colocar itens sugeridos na plataforma ou personalizados. Não há recebimento de presentes físicos, os valores referentes aos objetos da lista são depositados diretamente na conta da mãe por meio do mecanismo de pagamento Pagar.me. Todas as informações são criptografadas.



Portanto, as quantias depositadas são submetidas automaticamente às taxas da startup, que são de 10% por transação. A plataforma contabilizou até agora mais de 650 mil itens listados em todo sistema.



Aceleração



Desde 2015, época em que foi criada, a startup passou por três programas de aceleração, que somam investimentos de R$ 200 mil. Entre os processos de fomento, dois são brasileiros, o Fiemglab e o Seed, ambos localizados no Estado de Minas Gerais. O outro fomento ocorreu no exterior, promovido pela Start-Up Chile, cuja duração foi de seis meses em 2015.



Até o final deste ano, a empresa pretende fechar parceria com mais três investidores, cujos nomes não foram revelados. Basques diz que está em busca de um parceiro financeiro que viabilize transações internacionalmente. Colômbia e México estão na lista de países para expansão operacional da startup.