Publicado em

SÃO PAULO (Reuters) - A agência de classificação de risco Moody's informou nesta segunda-feira que elevou o rating da Usiminas para Ba3 ante o rating anterior de B1, com perspectiva estável, sustentada pela melhora no perfil de liquidez da empresa.

A melhora no perfil de liquidez da siderúrgica, de acordo com a Moody's, é proveniente da proposta de nova emissão de pelo menos 500 milhões de dólares em notas sêniores sem garantia. Os recursos captados na emissão serão utilizados para pagar dívidas da Usiminas com BNDES, Japan Bank for International Corporation (JBIC), Nippon Usiminas, Mizuho Bank e outras instituições financeiras japonesas, bem como detentores de debêntures da empresa.

Também nesta segunda-feira, a agência Fitch elevou a classificação de risco da Usiminas para BB- ante B+, definindo a perspectiva da nota da companhia em estável. A agência citou situação de "ampla liquidez e saídas administráveis de caixa" ao longo dos próximos três anos.

A empresa firmou termo com Banco do Brasil, Bradesco e Itaú Unibanco que formaliza renegociação de dívidas, de acordo com fato relevante da siderúrgica divulgado nesta segunda-feira.

"Os ratings continuam refletindo a sólida posição da Usiminas no mercado brasileiro de aço plano e as medidas tomadas para ajustar as operações à fraca demanda no mercado interno nos últimos anos", disse a Moody's em relatório.

Já a Fitch escreveu que "a capacidade da Usiminas de levantar nova dívida sem garantia a custos atraentes para refinanciar a maior parte do acordo vai melhorar a liquidez, a flexibilidade financeira e o perfil de crédito no curto prazo".

As ações da Usiminas tinha oscilação negativa de 0,11 por cento às 13h31, enquanto o Ibovespa mostrava ganho de 0,6 por cento.

 

(Por Peter Frontini)