Publicado em

Por David Sahl

COLÔNIA, Alemanha (Reuters) - Dwayne Johnson e Jason Statham voltam como o agente Hobbs e o pária Shaw em "Velozes e Furiosos: Hobbs & Shaw", filme derivado da franquia bem-sucedida dedicado aos dois.

Os dois personagens, que se desgostam profundamente, precisam unir forças contra o vilão Brixton, interpretado por Idris Elba.

A Reuters conversou com Statham e Elba sobre o filme e a franquia, cujos títulos já arrecadaram mais de 5 bilhões de dólares em todo o mundo. A seguir, alguns trechos das entrevistas.

 

JASON STATHAM

 

Pergunta: Do que trata o filme?

Resposta: Trata de dois caras que não querem estar no mesmo ambiente, (mas) têm que colocar suas diferenças de lado pelo bem maior de salvar o mundo.

 

P: Como surgiu a ideia de um spin-off?

R: Fizemos a parte 8, (na qual) tivemos alguns ótimos momentos face a face, e as pessoas reagiram à animosidade e à tensão no ambiente quando estávamos tentando matar um ao outro. Levamos isso adiante e as pessoas queriam ver mais.

 

P: Qual o segredo do sucesso de "Velozes e Furiosos"?

R: Tem a ver com os personagens... as pessoas se identificam com personagens de que gostam ou desgostam... o herói de ação foi consagrado por Arnold (Schwarzenegger) e Sylvester Stallone, havia algo neles que criava identificação, ou seu humor, ou havia algo em sua personalidade... nos sentimos atraídos a ver estas pessoas superando as adversidades".

 

IDRIS ELBA

 

P: Como você descreveria seu personagem?

R: Meu personagem é um ser humano com uma habilidade extraordinária, ele é parte máquina e essa parte máquina é concebida para lutar. É concebida para a guerra. Ele tem um grande ego... de fato, seu ego é o que pode destruí-lo, ao contrário de seu maquinário... ele tem uma lembrança recorrente que não é boa.

 

P: Como foi trabalhar com Jason Statham e Dwayne Johnson?

R: É trabalhar com os melhores em sua área... eles fazem filmes de ação há uns 20 anos... eu fiquei como um menino em uma loja de doces vendo esses caras fazendo aquilo.

 

P: Vocês fez suas próprias cenas de ação?

R: Fiz muitas das sequências de luta eu mesmo, algumas das cenas com motos fiz eu mesmo, e isso porque (o diretor) David (Leitch) quer você na imagem... treinamos muito para entrar em forma porque ele faz tomadas longas e participamos delas tanto quanto possível.

 

P: Você compôs uma canção em seu iPad durante a filmagem, como isso aconteceu?

R: Sempre existe um tempo de preparação entre as cenas... nesse intervalo eu sempre tenho algo para fazer, que normalmente é jogar (videogames da) Fifa ou fazer música. E compus uma canção que está no filme, na sequência de perseguição.

 

P: Ser DJ e músico é uma segunda carreira?

R: É uma segunda carreira com certeza, fui DJ a vida toda, mas agora posso dizer que é uma carreira porque estou adorando, me deixa muito centrado.