Publicado em

SOCHI, Rússia (Reuters) - O líder da Fórmula 1 Lewis Hamilton venceu o Grande Prêmio da Rússia em uma surpreendente dobradinha da Mercedes neste domingo, depois de ordens de equipe polêmicas da Ferrari e com a ajuda de um safety car virtual.

O pentacampeão mundial também ganhou um bônus pela volta mais rápida da corrida e foi a 73 pontos de vantagem sobre o companheiro de equipe finlandês, Valtteri Bottas, restando cinco corridas para o final do campeonato.

O britânico não pode assegurar o título na próxima corrida no Japão, mas no México (18ª prova de um total de 21) isso parece uma clara possibilidade.

Charles Leclerc, da Ferrari, foi o terceiro, enquanto seu companheiro de equipe, Sebastian Vettel, que resistiu à pressão para devolver a liderança conquistada no início com a ajuda do jovem Leclerc, se retirou da prova.

"É incrível ter esse resultado hoje, considerando a rapidez com que eles (Ferrari) começaram. Acompanhá-los foi uma tarefa incrivelmente difícil", disse Hamilton.

A vitória da Mercedes foi a sexta consecutiva em Sochi --a equipe ganhou todos os GPs da Rússia desde o primeiro em 2014.

Foi também a 82ª vitória da carreira de Hamilton e a nona da temporada, deixando-o a nove do recorde de 91 de Michael Schumacher.

(Por Alan Baldwin)