Publicado em

Por Emmanuel Jarry

PARIS (Reuters) - O ex-presidente da Uefa Michel Platini foi detido nesta terça-feira pela polícia francesa para um interrogatório sobre a escolha do Catar como sede da Copa do Mundo de 2022, disse uma fonte judicial à Reuters.

O advogado de Platini, William Bourdon, não estava imediatamente disponível para comentar o assunto. A detenção foi noticiada inicialmente pelo site investigativo francês Mediapart.

O braço especializado em investigar crimes econômicos e corrupção do Ministério Público francês lidera uma investigação sobre a concessão do torneio de 2022 para o emirado do Golfo desde 2016. O órgão está investigando possíveis crimes, incluindo corrupção, conspiração e tráfico de influência.

Tomada em dezembro de 2010, a decisão de sediar a Copa do Mundo no Catar surpreendeu o mundo, dada a falta de público local para os jogos, o clima extremamente quente no verão e o fraco desempenho do time nacional. O país será a primeiro emirado árabe a sediar a competição.

O jornal Le Monde informou que os promotores estavam particularmente interessados ​​em um almoço oferecido pelo então presidente da França, Nicolas Sarkozy, nove dias antes do anúncio de que o Catar receberia o torneio. Platini e o primeiro-ministro do Catar na época, xeique Tamim Ben Hamad Al Thani, eram convidados do almoço.

Dois dos assessores de Sarkozy na época, Claude Gueant e Sophie Dion, também foram interrogados pela polícia nesta terça-feira, conforme confirmaram à Reuters as fontes judiciais. Dion permanece detida com Platini, enquanto Gueant foi libertado, disseram as fontes.

(Reportagem de Emmanuel Jarry, Inti Landauro e Sudip Kar-Gupta)