Publicado em

Considerado um dos maiores problemas do País por parte da população, as deficiências no segmento da saúde podem ser bastante reduzidas a partir do uso da certificação digital.

Com a melhora da eficiência operacional, a certificação digital permite a migração de 100% dos processos físicos para o digital, a partir do Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP). Com esse procedimentos, é possível garantir o armazenamento dos dados, histórico de consultas do próprio paciente, permite a troca de informações entre profissionais, acesso a informações sobre medicamentos já ministrados e tratamentos e seus andamentos.

Tudo isso, além de permitir lançamento de informações referentes a planos de saúde ou atendimento pelo sistema público, o Sistema Único de Saúde (SUS).

O mais importante é que tudo isso pode ser feito sem uso de fichas nem papéis, que exigem a guarda, arquivamento, espaços físicos e com muita frequência se perdem ou se extraviam.

A tecnologia do certificado digital permite aos profissionais usarem inclusive o smartphone para acessar seus certificados, o que confere à utilização dessa tecnologia mobilidade e agilidade na tomada de decisões.

Outro aspecto importante e vital para o uso do Certificado digital na área de saúde é o fato de que, por ser um meio eletrônico, ele sempre poderá ser acessado e visto e revisto sem nenhum problema relacionado à interpretação.

Ao longo dos anos, muitas vezes vimos problemas relacionados a procedimentos manuscritos. O Certificado Digital assegura a médicos, enfermeiros e pacientes o acesso completo ao histórico e a confiança total em relação à interpretação dos tratamentos.

Além disso, o Prontuário Eletrônico do Paciente tem um caráter de sustentabilidade, na medida em que elimina o uso de papel. Todas as assinaturas são possíveis em meio eletrônico, assim como anotações e apontamentos, com todo o valor jurídico e segurança.

Ou seja, um dos maiores desafios da transformação digital no Brasil, em todas as instâncias governamentais (federal, estadual e municipal) pode, a partir do emprego desses prontuários eletrônicos, ser resolvido com o emprego gradativo em toda a rede pública da tecnologia da certificação digital.

Testada exaustivamente a partir da implantação em inúmeros hospitais privados e muitos públicos, a tecnologia dos prontuários a partir da Certificação digital amplia a percepção de eficiência por parte dos pacientes e profissionais.

Quando pensamos no envelhecimento da população e no natural crescimento demográfico, dar maior celeridade e eficiência às formas de atendimento é sem dúvida uma medida de extrema relevância.

Tanto porque a partir da tecnologia otimizamos o tempo dos profissionais e o uso dos espaços disponíveis atualmente. Essa constatação é sempre percebida em muitos hospitais e clínicas que já adotam esse sistema de atendimento. Essas empresas já estão cientes da rapidez e dos ganhos de qualidade para todas as partes. Em síntese, se tornam mais eficientes, e o impacto nos custos certamente será notado em todo o sistema.

Tanto porque a partir do certificado digital se pode controlar estoques de medicamentos, disponibilidade de vagas, agendamentos de consultas, escalas médicas, carga horária dos profissionais, entre outros.

Julio Cosentino é presidente da ANCD

elenomendonca@uol.com.br