Publicado em

O Audi e-tron GT, o coupé de quatro portas com motor elétrico da marca alemã, foi uma das estrelas do Auto Show 2018, evento realizado nesta semana em Los Angeles (EUA). O modelo fez sua estreia como um carro de exposição e terá a sua produção em série definida para acontecer em dois anos, seguindo os passos do Audi e-tron SUV e do Audi e-tron Sportback, previstos para 2019.

Dessa vez, com uma arquitetura de assoalho plano, que fornece proporções empolgantes e um baixo centro de gravidade, o e-tron GT tem 434 kW (590 cavalos), que fornecem um desempenho adequado para um carro esportivo. O torque é transferido às rodas por meio do motor de tração quattro. A Audi Sport GmbH será responsável por, subsequentemente, transformar o carro em um modelo de produção em série.
 

Plano, amplo e com uma longa distância entre eixos. As proporções do modelo - 4,96 metros de comprimento, 1,96 metro de largura e 1,38 metro de altura - fazem do Audi e-tron GT um Gran Turismo clássico. A carroceria leve do coupé de quatro portas é fabricada utilizando uma construção com múltiplos materiais, como teto de carbono e diversos componentes de alumínio e aço de alta resistência. A tecnologia para esse automóvel foi desenvolvida em cuidadosa parceria com a Porsche. O design e o caráter do carro estão cheios de elementos que possuem o DNA inconfundível da Audi.

O perfil do teto com leve curva do conceito e-tron GT que se estende bem até a parte traseira ecoa a estruturação Sportback, que é característica da marca. Isso, no entanto, é claramente levado adiante para o futuro, mostrando o caminho para a próxima etapa evolucionária da linguagem de design da Audi. A cabine que se estende firmemente em direção à parte traseira se destaca em comparação com os modelos atuais da montadora alemã. As caixas de rodas e o ombro são esculpidos enfaticamente e, juntamente com a superfície plana, que é incomum para um veículo elétrico, salienta visualmente o centro de gravidade baixo e potencial dinâmico do Audi e-tron GT.

Alimentação do sistema de 434 kilowatts (590 cvs). Esse é um número impressionante para um motor totalmente elétrico. O Audi e-tron GT é um quattro genuíno e, para ser mais preciso, já que não há ligação mecânica entre o eixo dianteiro e o traseiro, o sistema de controle eletrônico coordena o motor entre os eixos, bem como entre as rodas esquerda e direita. Isso significa tração otimizada e apenas a quantidade desejada de deslizamento.

O veículo faz de 0 a 100 km/h (0-62 mph) em 3,5 segundos e chega a 200 km/h (124,3 mph) em pouco mais de 12 segundos. A velocidade máxima é regulada a 240 km/h (149,1 mph) para maximizar o alcance. Uma característica é a opção de utilizar por completo o potencial de aceleração do motor diversas vezes e sucessivamente. Enquanto em outros carros o motor é alternado para sobremarcha por conta de considerações térmicas, o Audi e-tron GT pode fornecer ao motorista o potencial completo em ambos os motores e a bateria, graças à estratégia de resfriamento sofisticada.

O alcance é de mais de 400 quilômetros. A energia exigida do motor vem de uma bateria de lítio-íon com um teor energético de mais de 90 kWh. A vantagem decisiva desse design é o centro de gravidade extremamente baixo do carro – em comparação com o do Audi R8 – que, por sua vez, se beneficia decisivamente de manuseio dinâmico. A condução de todas as rodas faz disso uma síntese perfeita de agilidade semelhante a um carro esportivo, aumentadas por estabilidade de direção excelente.

O sistema de recuperação aumenta o alcance em até 30% nos veículos elétricos Audi – isso é essencial, mesmo em um carro esportivo como o conceito Audi e-tron GT. A recuperação envolve ambos motores elétricos e o sistema de controle de freio integrado eletro-hidraulicamente.