Publicado em

A Volvo Cars revela hoje um novo passo em suas ambições para acabar com as fatalidades em seus carros, abordando as questões de intoxicação e distração.

Além do excesso de velocidade, que a empresa almeja ajudar a combater com um limitador de velocidade máxima, a intoxicação por álcool e drogas e a distração são outras duas áreas de grande preocupação para a segurança no trânsito. Juntas, essas três áreas constituem as principais "lacunas" em relação à visão de futuro da Volvo Cars, com zero de mortes no trânsito e exigem um foco no comportamento humano, e também no trabalho de segurança da empresa.

Por exemplo, números da NHTSA (Administração Nacional de Segurança Rodoviária) mostram que, nos Estados Unidos, quase 30% de todas as fatalidades no trânsito em veículos em 2017 envolveram motoristas intoxicados.

A Volvo Cars acredita que a embriaguez ao volante, direção sob efeito de drogas e a distração devem ser resolvidas instalando câmeras no carro e outros sensores que monitoram o motorista e permitem que o carro intervenha se ele estiver claramente intoxicado ou distraído, não responder a sinais de alerta e estiver em risco de cometer um acidente envolvendo ferimentos graves ou morte.

Essa intervenção poderia envolver a limitação da velocidade do carro, alertando o serviço de assistência Volvo On Call e, como plano de ação final, reduzir ativamente a velocidade do carro até pará-lo com segurança.

"Quando se trata de segurança, nosso objetivo é evitar totalmente os acidentes, em vez de limitar o impacto quando um acidente é iminente e inevitável", diz Henrik Green, vice-presidente sênior de Pesquisa e Desenvolvimento da Volvo Cars. "Neste caso, as câmeras monitoram comportamentos que podem levar a situações de ferimentos graves ou morte."

Exemplos de tal comportamento incluem uma falta completa de participação na direção por longos períodos de tempo, motoristas que são detectados com os olhos fechados ou fora da estrada por longos períodos de tempo, bem como saídas irregulares de faixa nas pistas ou tempos de reação excessivamente lentos.

Um sistema de monitoramento do motorista, como descrito acima, é um elemento importante para permitir que o carro tome decisões ativamente, a fim de ajudar a evitar acidentes que podem resultar em ferimentos graves ou morte.

"Há muitos acidentes que são causados por motoristas intoxicados", diz Trent Victor, professor de Driver Behavior na Volvo Cars. "Algumas pessoas ainda acreditam que podem dirigir depois de tomar uma bebida e que isso não afetará suas capacidades. Queremos garantir que as pessoas não sejam colocadas em perigo como resultado de intoxicação".

A introdução das câmeras em todos os modelos da Volvo começará na próxima geração de veículos da plataforma escalável, SPA2 da Volvo, no início de 2020. Detalhes sobre a quantidade exata de câmeras e seu posicionamento no interior do carro serão informados em um momento posterior.

Este anúncio acompanha a decisão da empresa de limitar a velocidade máxima em todos os seus carros a 180 km/h a partir do ano modelo 2021.