Publicado em

É remota a chance de o presidente Jair Bolsonaro reconduzir Raquel Dodge ao comando da Procuradoria Geral da República. Ele quer um nome mais alinhado ao Palácio, e não esquece a denúncia da deputada federal Maria do Rosário (PT) que Dodge encampou no Ministério Público Federal, o que rendeu ação no Supremo Tribunal Federal contra ele, então deputado, sobre citações supostamente racistas.

Foi preciso que a PGR Raquel Dodge desse aula de jurisprudência para lembrar a dois ministros do STF o insustentável inquérito contra civis por sua liberdade de expressão.

O ministro Alexandre Moraes (STF) mantém o inquérito contra ‘fake news’. Mas o MPF, no papel de Dodge, já conotou que não vai denunciar ninguém.

Espetáculo

Boa parte dos ministros do STF viaja amanhã para Lisboa para evento do colega Gilmar Mendes; deixa o circo pegando fogo aqui, com a PF na porta. E o povo paga o show.