Publicado em

Nas mãos de Deus

A ministra Damares Alves, dos Direitos Humanos, vai pular de pára-quedas pela campanha Setembro Amarelo, a convite da Confederação Brasileira de Paraquedismo.

TCU & UTC

A ordem das letras não altera a encrenca vindoura: O ministro do STF Edson Fachin acaba de votar, na Segunda Turma, pelo afastamento do ministro Aroldo Cedraz do Tribunal de Contas da União. Ele é suspeito de receber R$ 2,2 milhões de propina da enrolada UTC, abatida na Lava Jato, através do escritório do filho advogado, Tiago Cedraz. Faltam os votos dos outros quatro ministros da Segunda Turma.

Frevo eleitoral

O governador Paulo Câmara (PE) não resistiu às pressões da família Campos para demitir o presidente da Companhia de Saneamento, Roberto Tavares, que, segundo críticos, causava problemas ao principal cabo eleitoral do deputado federal João Campos na eleição de prefeito do Recife. O prefeito Geraldo Júlio pedia sua cabeça.

Sorte de lá

Enquanto o Brasil patina no crescimento, na contramão de centenas de países, o Vietnã vai ganhar complexo com seis resorts e um hotel boutique. O Ecopark Mui Dinh terá 7 mil acomodações, e vai alavancar o setor de turismo, bares, restaurantes, serviços e gerar milhares de empregos. Deu no Boletim de Notícias Lotéricas.

Arca das Letras

Circula boato de que a Superintendência do Ibama em Brasília doa livros e os exemplares que não forem doados serão incinerados. O Ministério da Agricultura, ao qual o Ibama é vinculado, desmente. Informa que as obras pertencem ao extinto programa Biblioteca Rural Arca das Letras e estão sendo catalogados para serem destinados a bibliotecas públicas e escolas rurais.

Projetos de Estado

A meta do Governo é depositar no Tesouro R$ 1 trilhão com privatizações nos próximos quatro anos, e segurar R$ 1 trilhão em 10 anos, com a reforma da Previdência.

Olho neles, cidadãos destes Estados. Será que as primeiras-damas vão entrar nesse tour?

Socialistas

A buraqueira nas ruas do Recife já tem um responsável, segundo o prefeito Geraldo Júlio (PSB). É o atual presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento, Roberto Tavares, que “faz obras hídricas na cidade e deixa os buracos para a Prefeitura tapar”. Tavares era ligado a Eduardo Campos, e Júlio quer sua cabeça.

Tiro, porrada e bomba

Deputados da oposição pressionam, sem sucesso, o presidente da Câmara Federal, Rodrigo Maia, para votar projetos de Decreto Legislativo que sustam a Portaria do ministro Moro que autoriza a atuação das Forças Armadas durante os dias de manifestações de estudantes em Brasília.

Lousa & choque

Palmatória, que há décadas corrigiu muita gente veterana aí na praça, já era. Se for aprovado o PL 4012/19 do deputado Daniel Silveira (PSL-RJ), professores poderão utilizar armas de eletrochoque e sprays de pimenta para proteção pessoal, dentro e fora das salas. Ele justifica que o Brasil está no topo de um ranking de violência em escolas e o Estado é incapaz de garantir a segurança, “enquanto a delinquência grassa”.

Safra

O Brasil vai alcançar este ano 241,3 milhões de toneladas nas colheitas, comemoram os agricultores. Isso é 6% maior que 2018, ou 13,7 milhões de toneladas a mais.

Mortes na pista

O Recife é a capital do Nordeste com o maior número de mortes no trânsito, segundo dados do Sistema de Informações Sobre Mortalidade, do SUS. Foram 285 óbitos em 2016 e 2017, o que a colocam em terceiro lugar. São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente, lideram o triste ranking.

Vaga elétrica

As construtoras brasileiras já se adaptam aos novos tempos do setor de energia, à tendência das montadoras e à demanda do consumo consciente. Em alguns projetos de novos prédios residenciais já constam tomadas para carros elétricos nas vagas de garagem, com conexão direta no relógio do apartamento do motorista.

Economia porca

O presidente da Funasa, Ronaldo Nogueira, está mandando o órgão para a UTI em Brasília. Decidiu romper contrato de aluguel de dois andares com um edifício de Brasília, para realocar a equipe de volta na antiga sede, de onde a administração saiu porque precisa de reformas – e que até hoje não foram feitas. A chamada economia porca.