Publicado em

O presidente eleito, Jair Bolsonaro (PSL), está numa situação delicada com parte da forte bancada evangélica do Congresso Nacional, apoiadora de primeira hora de sua candidatura. Ele busca saída honrosa para o senador Magno Malta (PR-ES), não reeleito, que esperava nomeação para o Ministério do Desenvolvimento Social.

 Malta foi barrado pelos militares e pelo general e vice-presidente Hamilton Mourão. Mas aliados como o pastor Silas Malafaia começaram a enviar sinais de descontentamento com o possível abandono do aliado. O presidente, no entanto, dizem fontes da equipe de transição, tem um plano para Malta. A conferir.

O senador Magno Malta submergiu, chateado. O próprio chegou a espalhar que seria ministro. Ontem, desligou o telefone celular.

Malta tem banda chamada Tempero do Mundo, de estilo Pagode Gospel. Quando era presidente da CPI do Narcotráfico e tinha escolta da PF, os agentes carregavam os instrumentos, voluntários.