Publicado em

Pela primeira vez desde a redemocratização o Partido dos Trabalhadores pode abrir mão de lançar candidato à Prefeitura de São Paulo, o filé-mignon de vitrine nacional com PIB maior que muitos países. Pesa a derrocada da imagem do partido e a prisão do ex-presidente Lula da Silva na Operação Lava Jato.

Fontes do PT confirmam que o ex-ministro da Justiça José Eduardo Cardozo declinou de convite para disputar, e a cúpula da legenda avalia coligação com PSB. Conforme a Coluna antecipou semana passada, o ex-governador Márcio França (PSB) deve ser o candidato de uma ampla frente de centro-esquerda, com um petista de vice. O mais cotado é Jilmar Tatto.

Tatto e a família são fortes políticos no Grande ABC. O PT sabe que é alto risco uma candidatura sua na capital. Seu projeto e o do partido é candidatura ao Senado em 2022.

Conhecido professor constitucionalista na capital, José Eduardo Cardozo quer ajudar o PT, mas fora da política. Seu projeto é tocar a banca advocatícia com sócios.