Publicado em

O ministro Antonio Saldanha, sorteado relator do pedido de Habeas Corpus do ex-presidente Michel Temer, preso de novo a mando de colegiado da Justiça Federal, é conhecido no Superior Tribunal de Justiça por ser entusiasta da ‘presunção de inocência’. Mas já deu amostras em votos de outras causas de que isso perde força diante de duas decisões contra o réu, em 1ª e 2ª instância – caso de Temer. A conferir.