Publicado em

Na semana passada, o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) divulgou o resultado do Produto Interno Bruto (PIB) do segundo trimestre. O indicador surpreendeu positivamente, com projeções sinalizando um desempenho da economia brasileira acima do esperado anteriormente. Em vez de 0,2% no segundo trimestre deste ano contra o primeiro trimestre, o avanço foi de 0,4%. Na comparação com igual período de 2018, o PIB subiu 1,0%. No ano (primeiro semestre), a alta é de 0,7% em relação ao mesmo período do ano passado.

Ainda que o PIB seja um indicador de grande importância, sua utilidade para a rotina financeira das médias empresas não parece estar clara, enfatiza o economista Eduardo Bassin, da Bassin Consultoria, sobre a utilização de indicadores para facilitar a tomada de decisões nos negócios.

Segundo ele, a prática mostra que o médio empresário não considera o desempenho agregado da economia no seu processo decisório, o que diminui o grau de acerto das decisões porque os diversos segmentos da economia apresentam elevado grau de dependência entre si, mesmo que essa dependência não seja óbvia.

“Quando chove mais na Serra Fluminense provoca problemas na colheita de legumes e verduras, o preço desses itens aumenta, exercendo pressão nos preços das centrais de distribuição, que repassam os aumentos aos restaurantes. Esses aumentos levam a uma queda no número de clientes, forçando a empresa a comprar menos cereais e produtos de limpeza, diminuindo a atividade dos produtores daqueles itens. Está claro que problemas nessa engrenagem criam oportunidades para algumas empresas, mas de forma geral os efeitos são negativos para a maior parte dos empresários”, explica o consultor.

Descuidar da interpretação dos dados tem provocado efeitos negativos para as empresas, ressalta. O empresário tem maior poder de gestão sobre aspectos internos como contratação de funcionários, investimentos em marketing e política de entrega. O ambiente externo é mais complexo e menos previsível, o que o torna um grande desafio, conclui Bassin.