Publicado em

A comparadora de seguros online o MelhorTrato.com.br fez uma pesquisa a mais de 1.250 usuários do Rio de Janeiro e descobriu que 26% dos adultos maiores de 65 anos reconhecem que usam as redes sociais, como WhatsApp e Facebook, como a principal forma de combater a solidão ou o isolamento e estar conectado com seu contexto.

Outra conclusão da pesquisa é que o uso dos celulares não para de crescer entre adultos de maior idade. Um dos motivos é a necessidade de estar conectado e não ficar por fora dos fenômenos das redes digitais, destaca Cristian Rennella, CEO da companhia. Segundo ele, “nos últimos cinco anos, nota-se um crescente aumento nos usuários de internet de mais de 60 anos”. Nada menos que 76% dos usuários do Melhor Trato acessam os serviços por meio de dispositivos móveis, ao contrário de alguns anos atrás, quando isso era feito predominantemente por computadores de escritório.

Em um país como o Brasil, que caminha aceleradamente para o envelhecimento da população – em 2060, o percentual de pessoas com mais de 65 anos passará dos atuais 9,2% para 25,5%. Ou seja, 1 em cada 4 brasileiros será idoso –, pensar como a tecnologia pode ajudar no bem-estar da terceira idade é algo oportuno.

O professor do departamento de Fisiologia da Universidade Federal do Rio Grande Norte, Mário Miguel, afirma que “o contato com a informática provoca o aumento do hipocampo, área do cérebro fundamental para a cognição e a memória, segundo um estudo publicado em 2016”.

Mas ainda é necessário superar a desigualdade digital. Recente pesquisa do Pew Center Researcher em 27 países indica que a idade é o fator chave associado com a posse de um smartphone. No Brasil, 85% das

pessoas entre 18 e 34 anos têm um smartphone, no entanto, apenas 32% de pessoas maiores de 50 anos têm celulares.

Se é pelo WhatsApp e Facebook que 26% dessa parcela da população combatem a solidão, é uma indicação que o País precisa pensar também pensar em outras formas de integrar os idosos à sociedade.