Publicado em

Após ser avaliado por sua equipe médica na última sexta-feira (20), o presidente Jair Bolsonaro (PSL) foi liberado para embarcar rumo a Nova York nesta segunda-feira (23), onde participará da Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU). “O presidente está pronto para o combate e com viagem assegurada para Nova York ”, disse o porta-voz da Presidência, Otávio Rêgo Barros, ao final da avaliação médica realizada em um hospital particular de  Brasília. Segundo o cirurgião Antônio Luiz Macedo, o presidente evoluiu positivamente e não apresenta mais a distensão abdominal registrada logo após a cirurgia, no dia 8.

Tempo de viagem foi encurtado em um dia

Bolsonaro passou por exames para verificar sua evolução depois de uma cirurgia para correção de uma hérnia abdominal surgida depois de operações realizadas em decorrência de uma facada que levou durante a campanha eleitoral do ano passado. Os demais exames laboratoriais também apresentaram resultados dentro da normalidade e, partir de agora, o presidente poderá adotar uma dieta leve, mas sólida, que inclui arroz, purê, legumes, carne grelhada, o que deve dar mais autonomia ao presidente durante a viagem, encurtada em um dia por recomendação médica.

Discurso na ONU será nesta terça-feira

Uma escala em Dallas que seria feita na volta, onde o presidente encontraria empresários, também foi cancelada. O presidente discursará na Assembleia Geral da ONU na manhã desta terça-feira (24), e a volta ao Brasil está prevista para quarta-feira (25). O maior risco da viagem é o longo tempo de voo, cerca de 8 horas e meia. A equipe médica recomendou que Bolsonaro use meias elásticas, caminhe em alguns momentos durante o voo e passe a maior parte do tempo deitado. Nova avaliação será feita após a viagem, mas pelo médico da Presidência, Ricardo Camarinha.

Fernando Bezerra é assunto para a volta

Questionado sobre a situação do líder do governo no Senado, Fernando Bezerra Coelho (MDB-PE), alvo de operação da Polícia Federal na última quinta-feira (19), o porta-voz da Presidência afirmou que Bolsonaro só tratará do assunto depois de voltar de viagem. Na quinta-feira, o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que é preciso aguardar os desdobramentos da investigação envolvendo Bezerra. “Nós temos só que aguardar. É uma questão individual dele Bezerra, da vida pregressa dele. Ele vai ter que esclarecer junto às autoridades.”

Saída do senador prejudicaria articulação

O Palácio do Planalto ainda avalia se manterá Fernando Bezerra Coelho como líder do governo no Senado. Após ter o gabinete vasculhado por policiais, Bezerra disse ter colocado o cargo à disposição. Sua substituição na liderança do governo, no entanto, é considerada improvável porque poderia criar dificuldades na articulação, no momento em que há pautas caras ao Planalto em tramitação, como as reformas da Previdência e tributária, além da indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente, como embaixador nos Estados Unidos.

Nos palcos do mundo

 

Legenda: O palhaço Pepé em apresentação em festival internacional de circo na Bielorússia. Foto: Divulgação

Depois de três anos fazendo parte do corpo artístico do Parque da Ferrari, um dos maiores parques de diversões temáticos do mundo, Pepé Jardim, o Palhaço Pepé, retornou ao Brasil, seu país de origem, e já representa os brasileiros em dois festivais internacionais do circo – na Bielorússia e Alemanha. Com 32 anos de idade e 20 anos de carreira, Pepé sempre se dividiu entre o Circo Spacial, de São Paulo, onde nasceu e pertence à sua família há mais de 30 anos, e suas experiências internacionais por picadeiros nos Estados Unidos, México, Havaí, Arábia Saudita e Canadá. Paulistano e nascido no circo, ele se adaptou à vida itinerante desde criança. Para Pepé, alcançar e manter uma projeção internacional é algo que está diretamente ligado à valorização da arte circense no mundo. “Tem muito circo por aí que a gente não escuta falar, mas está enchendo a casa. O circo já passou e ainda vai passar por muita coisa. A certeza que eu tenho é que ele sempre estará vivo", conta Pepé.