Publicado em

Nesta semana, na vizinha Buenos Aires, algumas das principais questões mundiais do momento, como a guerra comercial entre os Estados Unidos e a China, serão tratadas na capital da Argentina, durante a Cúpula do G20 (que reúne as maiores economias do mundo), na próxima sexta e sábado (30 e primeiro de dezembro). A expectativa é que durante o encontro, que receberá os principais líderes mundiais dentre 34 delegações participantes, os presidentes da China, Xi Jinping, e o norte-americano, Donald Trump, avancem nas negociações para uma saída à tensão nas transações comerciais entre as duas maiores economias do mundo.

Chineses chegam otimistas à Argentina

Na semana passada, porta-vozes de Jinping afirmaram que o governo chinês estava otimista em relação ao “importante” encontro entre os dois chefes de Estado em Buenos Aires, e que a conversa poderá causar mais impacto positivo que as negociações realizadas até agora. Ainda no campo do comércio mundial, o presidente Michel Temer e sua comitiva disseram priorizar o comércio internacional na cúpula do G20, além das mudanças climáticas, bem na contramão de promessas do futuro governo eleito, que, se adotadas, prejudicariam as trocas comerciais.

Bolsonaro fica de fora da reunião

Embora convidado por Temer para o encontro, o presidente eleito não irá à reunião, segundo o Itamaraty. A presença de Bolsonaro certamente agregaria mais uma polêmica à já controversa pauta da cúpula argentina, onde também se espera muitos protestos da população descontente com o governo de Maurício Macri. Se aceitasse o convite de Temer, Bolsonaro teria de se deparar com o presidente da China, maior parceiro comercial do Brasil, que poderá ser preterido pelo novo governo brasileiro, que quer uma maior proximidade com os EUA.

Trump e saudita devem se encontrar

A Cúpula do G20 também será palco para reunião do presidente Trump com o príncipe herdeiro da Arábia Saudita, Mohammed bin Salman, em momento relevante para as relações entre os dois países devido ao recente assassinato do jornalista saudita Jamal Khashoggi, de acordo com a Agência Brasil. A crise na Venezuela, que levou o país ao caos econômico e social, também deverá ser tema durante o encontro, bem como as migrações dos países subdesenvolvidos para as nações ricas, especialmente a caravana de migrantes da América Central para os EUA.

Venezuela é logo ali

E por falar em Venezuela, o impacto da migração de venezuelanos para o Brasil já bateu às portas do governo de transição. O governador eleito de Roraima, Antônio Denarium (PSL), em entrevista à Agência Brasil, manifestou a necessidade de o governo estadual receber recursos federais para ampliar investimentos voltados ao maior controle na entrada dos refugiados, por programas de acolhimento em outros estados brasileiros e de devolução dessas pessoas para o país de origem – que, na avaliação de Denarium, são as soluções para o problema.

R$ 80 milhões em investimentos

A operadora de telefonia Oi investiu mais de R$ 80 milhões no Estado de São Paulo, de janeiro a setembro de 2018. A operadora implantou na capital e interior 67 novos sites de telefonia móvel e 5.124 ampliações ou modernizações foram realizadas no mesmo período. A Oi oferece cobertura 4G em 104 cidades paulistas.

Imóveis comerciais

O mercado de imóveis comerciais na cidade de São Paulo está em uma boa fase e há razões para o otimismo. “Acreditamos na queda na taxa de vacância por diversos fatores, como por exemplo, o fato de que um dos empreendimentos que serão entregues até o fim do ano já está locado para a Prevent Senior. Aliado a isso, temos um novo estoque projetado para 2019 muito baixo, e, por tanto, as novas locações vão acontecer nos empreendimentos que estão vagos, o que irá resultar na redução da taxa de vacância da cidade nos próximos meses”, diz Giancarlo Nicastro, CEO da SiiLA Brasil. A empresa mapeia e monitora o mercado de escritórios, condomínios logísticos e Shopping Centers brasileiro. Selic  (taxa básica de juros) baixa estimula os investidores a buscarem alternativas de investimentos, e com isso, os fundos acabam se valorizando. Nos 2º e 3º trimestres de 2018, os Cap Rates apresentaram uma boa melhora, de acordo com os dados da plataforma SiiLA Brasil.

Inovação em RH

 “Design de Presentes”, do  Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial  (SENAI CETIQT), “Programa Somos Vocês”, da Unimed – Rio, “Fluxos Lúdicos”, da  Mongeral Aegon Seguros e Previdência S.A. , e “Fortalecimento de Times”, da Vital Engenharia Ambiental. Estes são alguns cases que levaram as empresas a disputar o Prêmio Ser Humano, na categoria Grandes e Médias Empresas. A premiação, promovida pela Associação Brasileira de Recursos Humanos (ABRH-RJ) e que será entregue nesta segunda-feira, reconhece organizações que inovam em práticas de gestão de pessoas. Editora Vozes, Supergasbras, Peugeot Citroën e Unimed – Volta Redonda também estão concorrendo.

Ambientes para educação

De olho em novos horizontes, a Eduinfo, integradora de soluções e tecnologias para o universo educacional, foi além do universo de mobiliários flexíveis e inovadores, que deu início à empresa, e hoje também desenvolve projetos de arquitetura e consultoria sob medida para ambientes educacionais, tornando os espaços acessíveis e adaptáveis a diferentes metodologias, inclusive do ensino a distância. “Com o tempo observamos o encantamento dos alunos com o universo da tecnologia educacional e percebemos que poderíamos conectar espaços adaptativos, mobiliários e tecnologia. Então, a Eduinfo nasceu unindo tecnologia, produtos e serviços”, diz Danielle Andrada, fundadora e diretora. Segundo ela, o objetivo do negócio é proporcionar uma nova experiência de aprendizado aos alunos pelo impacto do ambiente, colorido e alegre, mas trazendo confiança e estímulo, é isso que nos motiva diariamente”, explica Danielle.

Ética nos negócios

O 2° Encontro Sobre Ética nos Negócios, realizado pelo Espaço Ética, amanhã (27), na capital paulista, vai reunir relevantes figuras públicas para apresentarem diferentes perspectivas sobre o tema. Monja Coen, Deltan Dallagnol, Djamila Ribeiro, Leandro Karnal, Clóvis de Barros Filho, Luc Ferry e Nuno Botelho são os palestrantes confirmados para discutir o assunto de forma ampla e profunda, tanto pela vertente acadêmica quanto pela ótica do mercado. Clóvis de Barros Filho, idealizador do evento, aponta a iniciativa como primordial para manter o tema no centro das discussões. “Eu achei que esse lugar periférico que a ética ocupava nos eventos empresariais merecia pelo menos um momento de exceção. Contamos de pronto com a adesão de pessoas tão entusiasmadas quanto nós e hoje o evento chega à segunda edição”, explica.

 

Liliana Lavoratti é editora de Fechamento

liilana@dci.com.br