Publicado em

As pesquisas de intenção de compra para o Dia dos Pais indicam que 105 milhões de brasileiros devem consumir, segundo a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil). Em média, consumidores pretendem gastar R$ 190 com os presentes, gerando no comércio movimento de cerca de R$ 20 bilhões; metade deles (52%) pretende comprar itens de vestuário. Na avaliação da entidade, a lenta recuperação do atual cenário econômico no país não parece ter desanimado os filhos brasileiros. Muito pelo contrário: 67% dos consumidores pretendem ir às compras. 
 
‘Patinho feio’ já era 
 
A taxa representa aumento de seis pontos percentuais em relação a 2018. Para a alegria do varejo, o valor que os entrevistados pretendem desembolsar com os “mimos” também subiu: em média, pretende-se gastar R$ 189,98, R$ 41 a mais do que em 2018. Os dados indicam maior popularização daquela que é considerada por muitos, por não injetar no mercado cifras tão expressivas quanto o Dia das Mães, o Dia dos Namorados e o Natal, o “patinho feio” das datas comemorativas. Especialmente em períodos de estagnação da economia e do consumo. 
 
21% querem gastar menos 
 
Mas isso não significa que todos os entrevistados pretendem investir mais na compra do presente: A maior parte (43%) dos entrevistados nas 27 capitais deve comprar apenas um presente e somente 26% devem gastar mais para agradar o pai. Destes, 43% querem adquirir presentes melhores e 28%, aproveitar o aumento do seu salário. A maioria (38%), no entanto, planeja gastar o mesmo valor do ano anterior. Enquanto isso, 21% querem gastar menos – 37% com o objetivo de economizar, 31% motivados pelo orçamento apertado e 20% pelo desemprego.
 
Comércio eletrônico espera...
 
Já o e-commerce espera crescimento de 13% para a data comemorativa, além de aumento no volume de pedidos e tíquete médio, com faturamento de R$ 2,4 bilhões no Dia dos Pais, um crescimento nominal de 13% quando comparado com o mesmo período de 2018 (R$ 2,09 bilhões). A estimativa é da Ebit|Nielsen, que projeta, entre 27 de julho e 10 de agosto, a realização de cerca dee 5,6 milhões de pedidos. Se atingir esse volume de compras, a data apresentará um aumento de 10%, em comparação com 2018 e ficará 2,6% acima do registrado no período do Dia das Mães.
 
...13% a mais em pedidos 
 
Os consumidores pretendem gastar um pouco mais na compra do presente neste ano: o tíquete médio previsto é de R$ 419,  2% acima do observado no ano passado. Esse valor também é superior ao registrado tanto do Dia das Mães quanto do Dia dos Namorados, de R$ 402 e R$ 384, respectivamente. Segundo Ana Szasz, líder da Ebit|Nielsen, o valor dos presentes influencia nessa variação. “Esse crescimento se dá pela busca de presentes com um desembolso maior e ajuda a a solidificar o e-commerce como canal de vendas em datas comemorativas”, diz. 
 
Desobstruir o Judiciário 
 
O Grupo Cercred, que inclui o escritório Gomes de Mattos e Coimbra, uma das maiores bancas de advocacia contenciosa do país, com sede em São Paulo e atuação em todo o Brasil, e tem como clientes as maiores instituições financeiras do país, conseguiu atingir 83% de encerramentos em ações de cobrança, por meio de conciliação. “Esse tipo de ferramenta foi fundamental para que o escritório alcançasse a marca de mais de R$ 179 milhões e 200 mil em recuperação global para os seus clientes no ano passado, nas 22 filiais do Grupo, espalhadas pelo Sudeste, Centro-Oeste, Norte e Nordeste do país”, destaca o sócio Maurício Coimbra. Segundo o advogado, e sócio, Mauro Roberto Gomes de Mattos, “esses acordos, que serão apenas homologados pelo juiz posteriormente, servem para desobstruir o judiciário, pois as questões são resolvidas e formalizadas em apenas uma reunião, evitando que o processo se arraste durante vários anos”.
 
Revalidação de diplomas 
 
O processo de revalidação de diplomas no Brasil é um assunto muito delicado, custoso e trabalhoso. Nos últimos 30 anos, entraram no País cerca de 300 mil imigrantes com alta qualificação e mais de 70 mil brasileiros (preponderantemente funcionários públicos) foram enviados e financiados pelo governo brasileiro para aperfeiçoamento em outros países. Porém, muitos deles ainda não estão habilitados formalmente para exercer, em solo nacional, as atividades profissionais para as quais se preparam. “Indivíduos com as mais diversas graduações e carreiras consolidadas chegaram ao Brasil nesse período e iniciaram o processo de revalidação de seus diplomas. Porém, menos de 1% conseguiu sucesso. Número vergonhoso que causa grande prejuízo a população, pois inibe qualquer tipo de atratividade”, explica João Marques da Fonseca, presidente da EMDOC, consultoria jurídica especializada em serviços de mobilidade global. “Com todos estes obstáculos, o nosso País está atrasado mais de meio século, se comparado ao que é feito em outras nações. Sem contar, o gasto que o governo arca em profissionalizar o brasileiro, que nem ao menos está sendo reconhecido quando do seu retorno”, complementa.
 
O pulo do gato
 
Legenda:O Ceo Paulo Vieira vai compartilhar com o público os bastidores e os caminhos percorridos até colocar a empresa na liderança mundial do coaching. Foto: Divulgação. 
Especialista em desenvolvimento humano, a Febrics Coaching Integral Sistêmico celebra a liderança no ranking mundial e para comemorar a expansão dos negócios, o fundador e autor de best sellers Paulo Vieira vai compartilhar com o público os bastidores e os caminhos percorridos até transformar a empresa em uma das melhores empresas para se trabalhar, pelo ranking Great Place to Work - GPTW. O evento acontece dias 7 e 8 de agosto em São Paulo.  Vieira, Ceo da Febracias, apresentará a metodologia de business que fez a empresa ser uma plataforma de negócios formada por 14 companhias das áreas de treinamento, alimentação, digital, tecnologia e educação,   com a instalação de uma universidade que levará o nome da marca.  Somente entre 2011 e 2019, o faturamento da instituição aumentou em quase R$ 200 milhões, alcançando a posição de maior companhia de coaching do mundo, com a estimativa de atingir o faturamento anual de R$1 bilhão em 2023.
 
 
Liliana Lavoratti é editora de Fechamento - liliana@dci.com.br