Publicado em

Dois pesos, duas medidas, essa parece ser a bússola dos governantes no Brasil, estejam eles onde estiverem – inclusive no Legislativo, que atualmente anda mandando tanto quanto quem está no Palácio do Planalto. Ontem, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse não ser “exagero" dobrar o Fundo Eleitoral e fazer o seu valor chegar a até R$ 3,7 bilhões para financiar as campanhas municipais de 2020. A previsão de aumento está no parecer do deputado Cacá Leão (PP-BA), relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) do próximo ano. Os recursos, inclusive para o acréscimo, é do Tesouro, ou seja, dos brasileiros.

De R$ 1,7 bilhão para R$ 3,7 bilhões

"Não acho que é exagero. Acho que uma eleição municipal, com cinco mil municípios com milhares de candidatos a vereador, é uma campanha que vai requerer um custo um pouco maior que a eleição do regime geral", disse Maia a jornalistas, ao deixar almoço com parlamentares do PRB na Câmara. "Olha, está se gastando o mínimo possível em relação ao que se gastava. O pior é a gente não ter uma eleição transparente e dê condições para que os partidos levem seus candidatos aos eleitores. A democracia não pode tratar de uma forma menor a importância da campanha."

Volta do financiamento privado...

Maia observou que, na sua opinião, o financiamento privado deveria voltar, com a imposição de restrições. "O ideal é o financiamento privado, limitado, sem poder concentrar uma empresa num candidato apenas, com algumas limitações para que a relação entre o deputado e o financiador não seja de dependência Não há uma decisão ainda sobre uma possível volta do financiamento privado, e o que sobra é o financiamento público", avaliou Maia. O financiamento privado caiu em decorrência dos escândalos de corrupção.

...pode acontecer, mas vai demorar

Sobre possíveis alterações nas regras para doação de campanha, Maia disse que não acredita em mudanças. "Acho que não, mesma regra da eleição passada. Acho que não teremos muita novidade, não. Apenas gerar as condições legais para que se repita a mesma estrutura da eleição de 2018", comentou. O presidente da Câmara é um dos mais entusiastas da reforma da Previdência, que se tornou o centro do discurso do governo e boa parte dos congressistas para reduzir o desequilíbrio das contas públicas. Mas, na conta dos aposentados, não dos partidos.

Enquanto isso

As arquibancadas do plenário da Câmara foram esvaziadas, ontem, durante a votação da reforma da Previdência. Manifestantes iniciaram protesto na entrada do anexo 2 da Casa, depois de serem impedidos de entrar no prédio. A Polícia Legislativa foi chamada e isolou a entrada. Policiais detinham cacetes e spray de pimenta das mãos. Deputados chegaram a pedir ao presidente da Câmara que tomasse alguma atitude para permitir o acesso das pessoas ao plenário. A parte superior do plenário é reservada para qualquer cidadão interessado em acompanhar as votações.

Crescimento nacional

A Full Gauge Controls, fabricante de instrumentos para refrigeração, climatização, aquecimento e aquecimento solar, comemora o fechamento do primeiro semestre do ano com crescimento de 17,84% no faturamento do mercado interno, em relação ao mesmo período de 2018. Em 2019 inteiro, a expectativa é avançar 25%. De acordo com o vice-diretor comercial, Rodnei Peres, o resultado positivo se deve a uma retomada, ocorrida em maio e junho. “Obras de manutenção e modernização em empreendimentos como shoppings, supermercados, padarias, entre outros, significaram investimento dos clientes em nossos produtos com maior valor agregado, o que ocasionou este avanço”, destaca. Já nas exportações, a fabricante gaúcha obteve aumento de 4% nas vendas, consequência da exposição em diversas feiras internacionais e prospecção de novos clientes em importantes mercados, como na América do Norte - região que conta com escritório da empresa no Texas, Estados Unidos -, e ainda na Europa.

Startup

Facilitar a conexão entre compradores e vendedores físicos e jurídicos é a principal proposta da Mobiauto, startup do segmento automotivo que acaba de ser lançada. Com investimento inicial de R$ 40 milhões, a plataforma surge como novo player do mercado nacional, com base de 200 mil veículos em seu catálogo, sendo 25% zero quilômetro e 75% seminovos. “Vamos atuar como intermediários entre comprador e vendedor em milésimos de segundo. Focaremos em uma comunicação ágil entre ambos. A partir de conversas com lojistas de todas as regiões, compreendemos as necessidades de mercado para focar em um serviço mais humanizado”, diz o CEO da Mobiauto, Sant Clair de Castro Júnior. A estimativa é alcançar  200 mil contatos por mês”, afirma. Para o início das operações, a Mobiauto conta com 54 colaboradores e terá como principal fonte de lucros os anúncios no site, atuando em parceria com revendedores.

Aplicativo

Lançado há menos de um ano no Brasil, o aplicativo Popsy marca a nova geração de classificados online. Disponível para Android e iOS, o app possui exclusivo sistema de Inteligência Artificial que automatiza o processo de venda. A partir da foto do produto, as informações como descrição e categoria são preenchidas automaticamente em segundos. Sem pagar taxas ou comissões, os usuários podem criar seus anúncios de maneira simples e rápida. Jean-Marie Truelle, fundador do aplicativo, informa que atualmente conta com uma base de milhões de usuários e a perspectiva é triplicar o número nos próximos dois anos. O serviço de entrega direta, por meio de parceria, está entre as próximas investidas do empreendedor para atrair mais clientes. Segundo levantamento da empresa, depois dos smartphones, as roupas de bebê estão entre os itens mais comercializados no aplicativo.

Fintech

Finalista do Top 100 do “Innovation Awards Latam 2019”, competição que premia as companhias mais promissoras da América Latina, a brasileira Size agora também faz parte do Top 5% das fintechs em todo o mundo, após seleção de 600 startups pela Holt Fintechs Accelerator. Leandro Zen, CEO da plataforma especializada em antecipação de recebíveis, participou no começo desta semana, em Montreal (Canadá), do Holt Selection Day '19. Todos os anos, o programa seleciona dez fintechs para participar de um programa de 12 semanas, a partir de 19 de agosto, com a possibilidade de obter um investimento-anjo de até US$ 225 mil, além de participar de rodadas de investimento.

Símbolo da pátria unida

O espetáculo é o avanço de uma proposta cênica que se iniciou em 2016, das atrizes Carla Zanini e Carol Duarte. (Foto: Caio Oviedo)

Com texto de Lucienne Guedes Fahrer e direção de Fernanda Carmago e Felipe Rocha, “As Siamesas – Talvez eu Desmaie no Front”, faz curta temporada no Teatro de Contêiner, na capital paulista,  a partir do dia 19 de julho. A peça é interpretada por Carla Zanini e Carol Duarte. Num país chamado Molvânia, duas irmãs siamesas de diferentes etnias que nasceram conectadas pela bacia tornam-se o símbolo da união da pátria. Soraia (Carla Zanini) pertence à parte molva e Carmem (Carol Duarte) à etnia bulga. Um golpe de Estado acomete o país e o símbolo de união representado por elas perde seu sentido. A partir disso, as irmãs procuram entender o que pode ser feito agora que a etnia de Soraia já não é bem vinda na Molvânia

 

Liliana Lavoratti é editora de Fechamento - liliana@dci.com.br